Em visita ao Rio de Janeiro para participar do Dia Nacional de Mobilização Contra o Aedes Aegypti, a presidente Dilma Rousseff afirmou que as Olimpíadas deste ano serão realizadas na cidade. A declaração foi dada durante coletiva de imprensa neste sábado (13/02), após Dilma, o governador do Estado, Luiz Fernando Pezão, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes, terem conversado com moradores do bairro Santa Cruz sobre os riscos trazidos pelo mosquito, que transmite os vírus da chikungunya, dengue e zika – ligada aos casos de microcefalia.

Segundo a presidente, até a realização dos Jogos Olímpicos no mês de agosto, haverá resultados satisfatórios no combate ao Aedes Aegypti. “Nós conseguiremos, até as Olimpíadas, ter um sucesso bastante considerável nesse extermínio dos mosquitos.

Publicidade
Publicidade

Essa é uma obrigação do prefeito, do governador e minha. É mais que uma obrigação, é um dever”, afirmou. Dilma também lembrou que é importante a população colaborar, evitando a proliferação da doença. Uma das formas de reprodução do mosquito transmissor são recipientes destampados que possam acumular água parada.

Além do Rio, o Dia Nacional de Mobilização Contra o Aedes Aegypti engloba mais 355 cidades no país. Em função dos Jogos Olímpicos, a capital fluminense terá prioridade no combate ao mosquito. Recentemente, atletas norte-americanos declararam estar com medo de vir ao Rio de Janeiro para participar das Olimpíadas. Também recentemente, dois cientistas sugeriram o cancelamento do evento esportivo em função do risco trazido pelo vírus. 

Retrospecto positivo

A presidente lembrou que o Brasil teve sucesso ao erradicar forma urbana da febre amarela, e ressaltou que trata-se do mesmo mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

Publicidade

Ainda segundo Dilma, o investimento realizado em saneamento básico - de aproximadamente R$ 20 bilhões por ano - é importante para evitar a proliferação das novas doenças.

Participação de militares

Em todo o Brasil, cerca de 220 mil militares do Exército, Marinha e Aeronáutica vão participar da campanha de combate ao Aedes Aegypti, lançada neste sábado no Rio de Janeiro. Realizada ao longo de todo o mês, a mobilização traz a expectativa de atingir três milhões de residências, com o apoio de 266 mil agentes comunitários de saúde e 46 mil agentes de combate a endemias. #Rio2016 #Zika Vírus