Foi dado o primeiro passo com relação ao desenvolvimento de um método eficaz contra o vírus do Aedes Aegypti. Talvez um pouco tarde, mais felizmente é o que se tem de mais seguro e concreto no momento. A nova substância confere imunidade contra determinada #Doença causada pelo vírus do mosquito, que compreende, um período de dois anos para o inicio dos testes.

O acordo internacional foi firmado entre o Brasil e a Universidade do Texas, que propõe a criação imediata da vacina em termos de desenvolvimento e experimento contra a Zika Virus. Segundo o Ministro Marcelo Castro, a parceria foi estabelecida entre o órgão vinculado a Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde (MS), o Instituto Evandro Chagas (IEC) que por sua vez, realiza pesquisas nas áreas biomédicas e prestação de serviços em saúde pública.

Publicidade
Publicidade

A notícia vai agradar de forma geral e automaticamente será aceita mundialmente. Claro que, nada muda o aspecto com relação ao panorama atual, ou seja, todos os casos ocorridos até hoje e, os que por ventura, surgirão até decorrer o término da propagação da vacina. Permanecer em alerta é de extrema necessidade, para evitar a reprodução do mosquito.

Contudo, os pesquisadores estão bastante otimistas com a evolução dos estudos, isso porque, a sequencial do vírus analisado no Instituto está cumprindo a fase final. Significa que, o Brasil sendo o responsável para proceder aos exames, está prestes a começar os testes que serão realizados inicialmente em animais.

O #Governo federal admite que dinheiro não será o problema, e já divulgou que o  investimento deva superar o montante de US$ 1,8 bilhões nos anos subsequentes.

Publicidade

Também faz parte de projetos futuros, outras fontes de pesquisas que estão sendo administradas inclusive pelo Intituto Butantan (IB), em colaboração com os Institutos Nacionais de Saúde (NIH) dos Estados Unidos, além de contar com a explanação da unidade produtora de imunobiológicos da Fiocruz (Bio-manguinhos), aliado a um laboratório farmacêutico.

Sendo assim, em benefício do bem comum devemos ter cautela nesse momento e a prevenção ainda é a melhor forma de priorizar a eliminação do mosquito Aedes Aegypti. Para maiores informações, click aqui. #Zika Vírus