Esse vírus tão temido por todos os brasileiros, fazendo mais de 70 mil contaminações em 19 estados do país, teve início na Unganda, sendo descoberto no sangue de macacos. 

Transmitido pelo mosquito Aedes Aegypit, no Brasil, ele virou surto e é, inclusive, apontado como a possível causa dos aumento dos casos de microcefalia (má formação cerebral) em fetos. Ao todo, já são 4.443 casos - entre suspeitos e confirmados.

Até o ano de 2007, havia apenas 14 casos confirmados no mundo todo, portanto, no país africano nunca houve um surto, tampouco o registro de alguma má formação congênita causada pelo vírus.

Julius Lutwama, principal virologista do Instituto de Pesquisa de Unganda, afirma que o tipo de Aedes encontrado no país africano é diferente do que está circulando no Brasil.

Publicidade
Publicidade

Segundo ele, o "mosquito africano" pica mais animais do que humanos, e ainda afirma que dificilmente haverá uma epidemia em seu país, pois o mosquito vive nas florestas e costuma se alimentar à noite, e mesmo que ele venha a picar algum humano, é muito improvável que a doença se alastre pela ausência de vetor (ser vivo capaz de transmitir uma agente infectante) nas áreas urbanas.

Outro fator que impediu o desenvolvimento e alastramento do mosquito em Unganda é o fato de que lá é praticamente total a preservação das florestas, essas que são o habitat natural desse mosquito.

Ainda segundo o virlogista, esse mosquito vive predominantemente nas florestas, tendo migrado - no caso do Brasil - para as áreas urbanas por causa do desmatamento e evoluído, passando a se alimentar de sangue humano. Nos países africanos onde há desmatamento das florestas também houve alastramento do vírus.

Publicidade

Mas no caso de Unganda, o país tem doenças semelhantes ao zica, como #Dengue, chicungunya e O`nyong`nyong e, Julius acrescenta que quem já contraiu algum desses vírus está menos vulnerável à uma nova infecção.

Por enquanto, aqui no Brasil, o Governo investe no estudo de vacinas que possam proteger a população do mosquito transmissor dessa doença, firmando, inclusive, uma parceria com os EUA e prometendo vencer essa guerra. #Zika Vírus