Durou apenas dois dias essa nova semana, sem que #Monica Iozzi protagonizasse novas polêmicas envolvendo a politica nacional. Depois de criticar as manifestações históricas do dia 13 de março e gravar um vídeo apoiando protestos contra o impeachment, Iozzi usou o Twitter para tecer suas novas críticas.

Após o comunicado oficial do PMDB de que não apoiaria mais o governo de Dilma Rousseff, Monica demonstrou todo seu repudio pelo partido através de sua conta oficial do Twitter. A moça chamou os políticos de oportunistas e sanguessugas e ainda afirmou que é preciso parar de eleger o PMDB, pois quanto mais parlamentares o partido tem, mais eles ‘chantageiam o governo’.

As críticas não pararam por aí.

Publicidade
Publicidade

Monica sabe que Temer pode assumir a presidência em breve e ao ser questionada sobre quem é pior: Dilma ou Michel, declarou que ‘qualquer um’ seria melhor do que Temer, menos Bolsonaro'.

Vale ressaltar que de todas as delações com mais de trezentos nomes citados desde o início das investigações da Lava Jato, o deputado Jair Bolsonaro não figurou em nenhuma lista, sendo um forte candidato a protagonista das próximas eleições. O parlamentar é, inclusive,um dos preferidos ao cargo de presidente da república pela maioria dos eleitores do sul e sudeste do país, sendo detestado apenas por meliantes e seus apoiadores, além de homossexuais que não concordam com sua opinião sobre a homossexualidade ser uma escolha e não um destino traçado antes do cidadão nascer.

Veja o Tweet de Monica:

Uma nação mais globalizada e ‘antenada’

Os milhões de brasileiros que apoiam o impeachment de Dilma, a prisão de Lula e o fim da corrupção no Brasil não são tão ingênuos quanto muito parlamentar ou artista pensava.

Publicidade

Com a divisão de opiniões entre defensores do governo e pró-impeachment, muitos cidadãos passaram a boicotar trabalhos de artistas e intelectuais que apoiam o governo.

Muitos internautas resumem que o apoio de algumas celebridades ou semi-celebridades ao governo é apenas uma questão de conveniência por conta da lei Rouanet, mas pelo sim ou pelo não, o fato e que muita gente já se surpreendeu e deixou de acompanhar o trabalho de Monica Iozzi, Leandra Leal, Zé de Abreu, Wagner Moura e cia após declarações polêmicas sobre a política.

Além disso, tem muito artista que já discutiu na #Internet por causa de seus posicionamentos distintos diante do impeachment. O petista Zé de Abreu chegou a arrumar confusão com Stepan Nercessian pelo Twitter, alegando que riscaria o seu nome de ‘seu caderno’ caso o colega global apoiasse o ‘golpe’.

Mesmo com Stepan sendo simpático e finalizando a conversa atentando para os fatos incontestáveis envolvendo a corrupção, Zé usou palavras ríspidas e demonstrou indiferença com o ex-amigo, que teria se tornado um ‘golpista’.

Publicidade

Dias depois Zé cancelou sua conta oficial no Twitter.

E você, concorda com Monica e cia em apoiarem o governo e tecerem criticas em quem não está envolvido com a corrupção como forma de argumento? Deixe um comentário com a sua opinião. #Michel Temer