De forma democrática e essencialmente pacífica, milhões de brasileiros foram às ruas do país neste domingo (13) naquela que foi a maior #Manifestação contra o #Governo #Dilma Rousseff. Segundo dados da Polícia Militar, cerca de 3,6 milhões de pessoas estiveram nos protestos somando todas as localidades. Os organizadores do ato chegaram a estimar um público de 6,8 milhões.

Todos os estados do país registraram movimentações contra o governo Dilma. Mais de 300 municípios estiveram envolvidos no ato. Em geral, as manifestações se mostraram pacíficas, com poucos incidentes isolados. Mesmo nas cidades em que houve também atos pró-governo a democracia foi respeitada e as autoridades não tiveram maiores problemas nesse sentido.

Publicidade
Publicidade

São Paulo foi a cidade brasileira que mais recebeu público no protesto deste domingo. Aproximadamente 1,4 milhão de pessoas, na contagem da Polícia Militar, estiveram na Avenida Paulista manifestando toda a sua insatisfação contra o governo de Dilma Rousseff e o Partido dos Trabalhadores (PT). No entanto, os protestos em São Paulo não se mostraram partidários: políticos como Aécio Neves, Geraldo Alckmin e Marta Suplicy também foram hostilizados.

Para Dilma Rousseff, o cenário apresentado neste domingo é preocupante. Isso porque o dia 13 de março de 2016 ficará marcado como a data do maior protesto contra o seu governo, superando, inclusive, os atos de um ano atrás. Em 15 de março de 2015, segundo as autoridades, 2,4 milhões de brasileiros foram às ruas – número que foi superado neste protesto.

Publicidade

Além de pedirem novamente pelo impeachment de Dilma Rousseff, os manifestantes também protestavam contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Lula, que na última semana foi alvo de um pedido de prisão preventiva efetuado pelo Ministério Público de São Paulo. O órgão, assim como a Polícia Federal e o juiz Sérgio Moro, responsáveis pela condução da Operação Lava Jato, foram defendidos e elogiados pelos manifestantes neste domingo.

Em nota, Palácio do Planalto elogiou “maturidade” do país

Já no início da noite de domingo, o Palácio do Planalto soltou nota oficial à imprensa com a posição oficial do governo sobre mais um dia de protestos em todo o país contra Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. Segundo o texto, “a liberdade das manifestações é característica das democracias, portanto deve ser respeitada”.

Além disso, o governo procurou elogiar a pacificidade observada nas manifestações e falou em “maturidade” de um “país que tem demonstrado saber conviver com o divergente”. Dilma Rousseff acompanhou do Planalto o dia de manifestações e, pela parte da tarde, recebeu ministros de governo para uma reunião de avaliação.

Publicidade

Em comum nos quatro cantos do Brasil neste domingo, as cores utilizadas. A imensa maioria dos manifestantes optou por sair de casa trajando o verde e o amarelo característicos da bandeira do Brasil. A força das massas demonstrou o quanto ainda está presente o orgulho de ser brasileiro – agora, é a vez do Brasil voltar a orgulhar o seu povo.