Neste domingo (27), um tiroteio na zona norte do Rio de Janeiro vitimou uma criança de 4 anos de idade. Ryan Gabriel Pereira da Silva foi baleado durante disputa entre traficantes. A criança foi a óbito na madrugada desta segunda (28), não resistindo ao tiro que levou no peito. A morte foi confirmada pelo #Hospital Getúlio Vargas, na Penha, zona norte do Rio de Janeiro.

Ryan brincava na porta da casa dos avós em Madureira, para onde tinha ido passar o domingo de Páscoa. O confronto acontecia entre traficantes da Serrinha e do Cajueiro, quando foi baleado, por volta das 16 horas. 

ONG faz protesto

A organização não governamental (ONG), Rio de Paz, realizou uma manifestação na Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio.

Publicidade
Publicidade

Com o propósito de chamar a atenção da sociedade para as mortes de crianças vítimas de balas perdidas desde 2007. Casos como esse, infelizmente, não são exceções. É isto que a ONG pretende mostrar com fotos de Ryan e com cartazes mostrando as outras 24 crianças que morreram desde 2007. 

O presidente da ONG Antonio Costa Carlos, defendeu que se a sociedade desse maior atenção àqueles que moram do outro lado da cidade, que perdem entes queridos em tiroteios, vítimas de balas perdida, que houvesse uma luta maior pelo fim do cenário de exclusão e pelo aumento de investimento público em favelas, esses fatos lamentáveis como a morte do menino Ryan poderiam ter sido evitados. 

O protesto após a morte da criança começou por volta de 13h causando tumulto e paralisou o trânsito nos dois sentidos da Avenida Ministro Edgard Romero, em Madureira.

Publicidade

Dois ônibus foram queimados durante a manifestação, de acordo com informações do Corpo de Bombeiros. Foi informado pela Polícia Civil que o delegado Niandro Lima instaurou procedimento para apurar os responsáveis pelo incêndio.

Seis jovens foram detidos quando tentavam incendiar um ônibus, com eles policiais da 14 BPM encontraram garrafas que continham líquido transparente.  

A ONG destacou que na maioria dos casos, as crianças foram vítimas de bala perdida durante tiroteio entre traficantes e policiais. Geralmente, quando se envolve crianças pobres, o atendimento é precário e as punições são raras. #Crime #Casos de polícia