O início da noite de segunda-feira, 28, começou com alguns risos e premonições de conflitos e eventuais depredações em patrimônio público e privado.

Esse temor se deve a alguns grupos, também chamados de movimentos sociais, terem se unido na Praça do Patriarca por tempo indeterminado e sem armas de manutenção diária: “comida e água”. Os ‘guerreiros foram para a ‘luta’ sem um marmitex, mas pediram doações de água e biscoitos para os apoiadores da causa.

Em um comunicado divulgado no Twitter, os grupos pediram que a militância empreste barracas para passarem suas próximas noites frias e almejam que este seja o maior polo de resistência ao ‘golpe’ de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Militantes estão certos de que vão morar na praça e arredores até que o #Impeachment seja barrado, ou até que a Policia Militar faça o seu trabalho em cumprimento a eventuais ordens superiores.

Em nota, os manifestantes pediram alimentos não perecíveis para consumo imediato. Os ‘guerreiros’ que se juntaram para esse movimento pertencem aos seguintes grupos: MST, MTST, CUT e CTB. Informações não oficiais alegam que militantes petistas também estariam auxiliando os manifestantes. Outros militantes foram convidados pelas redes sociais para se juntarem aos protestantes.

Veja o tweet oficial divulgado pelos 'Jornalistas livres' que consiste em um perfil de esquerda radical:

Impeachment: um fato mais do que certo!

Sofrer o impeachment se tornou apenas uma questão de tempo.

Publicidade

Como se não bastasse a insatisfação de milhões de brasileiros, Dilma perdeu seus aliados e segundo supostas fontes ligadas ao vice presidente informaram à ‘Folha de S.Paulo’, Michel Temer se prepara para assumir a presidência em maio e a votação do impeachment de Dilma deve ocorrer dentro de poucas semanas.

A nomeação de Lula a ministro da Casa Civil acabou se tornando um 'tiro no pé´, tanto de Dilma Rousseff, quanto do ex-presidente, pois se por um lado importantes aliados desistiram de apoiá-la, por outro Lula acabou, ainda que indiretamente, demostrando que queria fugir da justiça ao aceitar o cargo de ministro, a fim de gozar de foro privilegiado.

Acredita-se que agora que o PMDB rompeu oficialmente com o governo, o processo do impeachment seja acelerado. Michel Temer já teria definido a base aliada para seu governo. #Manifestação #Comportamento