Faltando poucas horas da convenção nacional do PMDB, a presidente Dilma Rousseff começa a descobrir quem não seguirá mais com ela nos próximos dias do governo. A legenda define oficialmente nesta terça-feira, 29, se irá ou não deixar Dilma. Antes disso, no entanto, Henrique Eduardo Alves decidiu abandonar o Ministério do Turismo. A informação foi confirmada no início da noite desta segunda-feira, 28, em uma carta assinada e enviada à presidente. De acordo com o jornal O Globo, o próprio Ministro disse que realmente se demitiu do cargo, mas preferiu não manifestar explicações sobre o que o levou a tomar tal decisão. 

A assinatura da demissão do Ministro do Turismo aconteceu após um dia muito tumultuado.

Publicidade
Publicidade

Dilma se reuniu com Ministros do PMDB e o vice-presidente, Michel Temer, também correu pelas beiradas, tomando a mesma decisão. É ele quem assume o governo no caso de #Impeachment de Rousseff. Henrique Eduardo Alves era um dos sete Ministros de Dilma (do PMDB) mais próximos a Michel. No texto curto de sua carta de demissão, o agora ex-Ministro disse que toda a conversa com a presidente "se exauriu". 

Henrique explicou ainda que o que acontece hoje no Brasil o obrigou a escolher um caminho e que esse será a presidência com Michel Temer. Apesar da decisão, ele disse que a escolha não foi fácil, mas que no fim das contas acabou coerente e consciente. Henrique ainda agradeceu Rousseff pelo apoio e confiança no tempo em que ele ficou no cargo, pouco mais de onze meses. 

Além das reuniões com Dilma, Luiz Inácio #Lula da Silva, que está sendo usado como articulador do governo, também se reuniu com Michel Temer na noite deste domingo, 27.

Publicidade

O vice-presidente teria dito ao ex-presidente que o atual quadro, do impeachment de Dilma, não tem mais como se reverter. No mesmo dia, Michel se reuniu com líderes peemedebistas de diversas regiões do país, onde teria ficado definido o rito da decisão de terça. Nessa reunião, Temer decidiu que não estará no congresso de terça. Já Lula, em entrevista à imprensa internacional, lamentou a saída do aliado. #Dilma Rousseff