Aposentado que tem uma perna amputada, foi desrespeitado ao tentar entrar na agência bancária da Caixa Econômica na Vila Albertina, Zona Norte de São Paulo. Embora ele tenha avisado aos seguranças que era deficiente físico e que utilizava uma prótese metálica, não obteve liberação para entrar no Banco. De acordo com o portal de notícias G1, este fato ocorreu na última segunda-feira (28), saibam mais detalhes neste artigo.

Revolta com tamanho descaso

O aposentado Gilberto Forti, de 57 anos, afirmou que nunca havia sido tão humilhado. Revoltado Gilberto disse "trabalhei minha vida inteira e merecia mais dignidade".  O aposentado afirmou que não gosta de escândalos, mas que dessa vez ele não viu outra alternativa.

Publicidade
Publicidade

Gilberto teve a perna amputada por causa de complicações da #Diabetes e foi aposentado por invalidez.

Forti chegou ao banco com sua esposa, esta era a quarta vez que eles iam a esta agência, nas vezes anteriores, ele avisou sobre a prótese e teve sua entrada liberada de imediato. Entretanto nesta segunda-feira, apesar de ter avisado e mostrado a prótese para o segurança e a gerente, sua entrada não foi permitida. Ele ainda disse "minha esposa levantou minha calça, explicou que sou amputado. Mas eles disseram que não me conheciam e não iriam abrir a porta".

Aposentado afirmou que surtou

Gilberto afirma que ficou tão constrangido e nervoso que "surtou", "tirei as calças, tirei a prótese, fiquei de joelhos e tentei entrar na agência. Depois fiquei sentado por mais de meia hora esperando a polícia chegar." A esposa de Gilberto, acionou a polícia militar, e registrou o boletim de ocorrência na 20º DP.

Publicidade

Nota da Caixa Econômica Federal

Em nota a Caixa Econômica Federal, afirma que Gilberto Forti se negou a mostrar a prótese ao segurança do Banco. Salientou ainda que antes que a gerência conseguisse abrir a porta auxiliar, como prevê a norma de segurança, o aposentado, já tinha tirado a calça e a prótese. A Caixa Econômica ainda informou que Gilberto Forti, voltou a agência nesta quarta-feira (30) e foi atendido normalmente. #Medicina #Casos de polícia