A demanda pelos hospitais do setor público cresceu por conta das doenças epidêmicas, causadas pelo mosquito Aedes aegypt. O setor da área da saúde no estado irá chamar 2.560 especialistas para atenderem os doentes em 18 unidades.

A notícia foi passada na última quinta-feira (3) no evento que aconteceu no Palácio do Campo das Princesas em Pernambuco, cidade de Recife.

O secretário de saúde, Iran Costa, disse que serão contratados para fazer parte da área da saúde. Atualmente o estado conta com 24 mil profissionais. A lista de pessoas a serem chamadas é a mais extensa dos últimos vinte anos e os novos convocados irão ajudar nos atendimentos aos casos da #Dengue, chikungunya e zika, transmitidas pelo Aedes.

Publicidade
Publicidade

Serão atendidos dezoito locais, que são os hospitais, as farmácias do estado de Pernambuco, setor de óbitos e o laboratório central Lacan-PE e também o Hemope (Hemocentro).

O governador do estado, Paulo Câmara, notificou que os especialistas poderão ser convocados dentro de 30 a 60 dias, com homologação rápida.

O dinheiro para o pagamento dos novos profissionais será proveniente do esforço que começou em 2015. A procura pelos atendimentos em setores públicos aumentou muito nos últimos tempos, junto com os problemas econômicos, o que fez com que os postos de atendimento passassem a ter grandes procuras, de acordo com Câmara.

A respeito do “sub-financiamento" do SUS (Sistema Único de Saúde), o governador criticou e disse "que não é necessário falar sobre o assunto”. Informou que não podem esperar por definições que não acontecem.

Publicidade

Os concursados e chamados a trabalhar são: 207 médicos que passaram no concurso público realizado em 2013, os 487 enfermeiros, 428 com curso superior, 1.428 com nível médio, que passaram no concurso de 2014.

Neste ano de 2016 será realizado um novo concurso público para a especialidade, com previsão para o 2º semestre.

Os setores que terão mais assistência no número de concursados serão as maternidades, terapias intensivas e emergências e também as maternidades infantis, UTIs. As áreas com maior déficit terão prioridade, de acordo com o secretário estadual de saúde, Iran Costa, e será a terceira vez que realizam reforço.

No mês de dezembro de 2015 e janeiro de 2016, ocorreu a convocação de seis especialistas em laboratórios no Lacen-PE. Vinte e três técnicos, biólogos e veterinários, que já trabalham com vigilância em saúde, e enfermeiros (vigilância epidemiológica), que irão reforçar o quadro no estado e ajudar no combate às doenças. #Doença #Zika Vírus