No passado, #Dilma Rousseff chegou a manifestar que não acredita em Deus, mas isso não importa muito para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Nesta segunda-feira, 28, ele pediu ajuda a forças do além para guiarem o juiz federal Sérgio Moro a continuar conduzindo a operação Lava Jato, maior investigação já registrada na história do país, que envolve também a maior estatal brasileira, a petroleira Petrobrás. #Lula diz que quer que o juiz haja com justiça, sendo isento com todos o que está analisando. Ele ainda pediu que tenha o mesmo tratamento que qualquer cidadão que seja considerado brasileiro. 

As declarações do ex-presidente foram dadas com destaque nesta terça-feira, 29, pelo jornal O Estado de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

O companheiro político de Dilma Rousseff pediu ainda que Moro seja um contribuinte para a democracia, ouvindo e respeitando todos os envolvidos na investigação da Lava Jato. O político ainda alfinetou o juiz, dizendo que ele é muito competente, mas que pode ter sido picado pela "mosca azul", demostrando uma insinuação de que Moro é soberbo. 

O ex-presidente disse que não gostou da divulgação das interceptações telefônicas feitas pela Polícia Federal e com autorização da justiça. Ele considerou o episódio como ofensivo. E foi além, falando que como qualquer brasileiro, sentia-se indignado. Lula ainda criticou a mídia brasileira, que estaria dando reportagens tendenciosas sobre o movimento do #Impeachment

Ele ainda pediu responsabilidade do magistrado, solicitando que ele não julgue papos informais com conversas de cunho público.

Publicidade

Lula ainda credita o fato da mídia ter divulgado tais gravações, chamando a atuação do jornalismo brasileiro de tremendo circo. O ex-presidente disse que a liberação dos áudios em que ele aparece conversando com Dilma Rousseff foi uma atitude de má-fé e que isso causa um empobrecimento do Brasil. 

Em tempo, as falas do presidente foram dada em entrevista coletiva de duas horas a veículos de comunicação internacionais. Antes disso, Lula tinha dado sua última coletiva no dia 03 de dezembro.