O advogado Cristiano Martins Zanin foi entrevistado nesta segunda-feira, 21, pela Rádio Estadão. Ele defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que desde que perdeu o foro privilegiado por conta do Ministério da Casa Civil, pode ter sua prisão preventiva expedida pelo juiz Sérgio Moro a qualquer momento. O pedido já havia sido solicitado pelo Ministério Público de São Paulo. O profissional da justiça disse que espera que o Supremo Tribunal Federal, o STF, tome uma decisão em plena semana de recesso de Páscoa.

No domingo, 20, Cristiano Martins Zanin entrou com uma Habeas Corpus tentando reverter a decisão dada pelo Ministro Gilmar Mendes.

Publicidade
Publicidade

Mendes voltou com as investigações para Moro e disse que #Lula não tem porque ser investigado pelo STF, além disso, ele suspendeu a posse do ex-presidente como Ministro, acatando decisões parecidas em uma instância considerada menor, a dos Tribunais de Justiça de pelo menos três estados diferentes.

O advogado revelou que acredita que haverá um pronunciamento do STF antes do dia 30, que é a próxima sessão oficial do Supremo. Para o defensor de Lula, esse pronunciamento pode acontecer até monocraticamente, vindo de um único Ministro, mais ou menos como aconteceu no caso de Gilmar, que assinou sozinho o cancelamento da posse de Lula. Gilmar Mendes também foi entrevistado nesta segunda. Dessa vez, pela rádio Jovem Pan, ele disse que não existe nenhum impedimento para que Lula seja realmente seja preso.

Publicidade

O Ministro explicou que como o ex-presidente não tem mais foro privilegiado, ele pode ser levado para a cadeia sem nenhum problema jurídico e sem que Sérgio Moro esteja passando por cima da lei. 

Já o advogado de Lula diz que caso isso ocorra será uma grande arbitrariedade da justiça. Alguns blogs políticos publicaram que a prisão poderia acontecer até esta quarta-feria, 23, mas a informação é vista como incerta por diversas fontes, das consultadas pela Blasting News, aos veículos da imprensa com mais prestígio e credibilidade, ainda mais agora, quando o clima político está extremamente instável.  #Crime #Impeachment