Mais de 30 mil manifestantes cercaram a sede da #Rede Globo em São Paulo na noite desta última quinta-feira (24) em um protesto. O processo intitulado "Ato em Defesa da Democracia - A saída é pela esquerda" foi pacífico, mas deixou a direção da emissora extremamente preocupada.

A marcha seguiu por várias ruas e avenidas da capital paulista e contou com pessoas favoráveis à permanência de Dilma Rousseff na presidência da república. A Globo era acusada, durante todo o protesto, de apoiar um golpe contra a democracia no Brasil. Um dos organizadores do protesto disse que a marcha finalizou na porta da Rede Globo porque "é uma empresa que está apoiando o golpe contra a democracia" e que "isto os brasileiros não podiam permitir".

Publicidade
Publicidade

O início do protesto foi por volta das 18h30, quando os manifestantes saíram da avenida Faria Lima indo para a zona sul de São Paulo, passando pela avenida Juscelino Kubitschek, entre outras. Quando já eram quase 21h00, os manifestantes estavam chegando à sede da Globo e os gritos de protesto ficaram mais fortes.

"Barrar a direita no governo, no congresso e nas ruas" e "Golpe nunca mais, eu tô nas ruas por direitos sociais", foram alguns dos gritos ouvidos no protesto.

Quem participou do protesto foi o presidente do PT, Rui Falcão, que afirmou ter muita gente de importantes setores sociais participando deste golpe, além da Globo, e que o #Impeachment da presidente Dilma seria um retrocesso para o país. "Não haverá estabilidade com impeachment", garante Falcão.

Ainda de acordo com o presidente do Partido dos Trabalhadores, o STF deve retirar imediatamente a suspensão de Lula para o cargo de ministro da Casa Civil, pois ele "é um brasileiro exemplar, ficha limpa, não tendo nenhum impedimento para vir a ser ministro", o que aliás, de acordo com Dilma, seria uma importante ajuda para tirar o país da crise.

Publicidade

Os protestos contra a Rede Globo estão aumentando, inclusive nas redes sociais, onde muitos se manifestam acusando a emissora de não ser imparcial na transmissão dos fatos. A emissora nega tudo e já avisou em seus telejornais que a Globo não realiza “grampos” e nem produz provas, apenas mostra a verdade. #Protestos no Brasil