O ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, afirmou em entrevista que o #Governo Federal estuda, dentre outras medidas, a demissão de parte dos servidores federais.

A intenção do Governo Federal é clara, diminuir o 'peso' da folha salarial que paga aos servidores federais. Recentemente foi utilizada a estratégia de taxar e conseguir benefícios em acordos com instituições financeiras que recebem o pagamento dos funcionários federais.

Ao que parece essa estratégia, que tem expectativa de gerar quase R$ 1 bilhão por ano aos cofres do governo, não será suficiente para aliviar a falta de recursos da União. Com a economia enfraquecida e a crise política na qual está mergulhado, o governo ainda sofre significativa baixa de arrecadação.

Publicidade
Publicidade

Nelson Barbosa afirmou que o governo federal está "estudando" medidas como a demissão de servidores federais. Caso opte por esse caminho, será necessário que o governo consiga a aprovação de uma PEC (Proposta de Emenda à Constituição), capaz de conceder esse poder que hoje o Executivo não possui.

Como os servidores federais têm a premissa da estabilidade e o ingresso nos cargos adquiridos mediante concurso público, haverá necessidade de engajamento e forte apoio político, coisas que hoje a presidente da República não dispõe.

Na tentativa de tirar a economia da inércia, Nelson Barbosa, planeja propor um 'pacotão de medidas', das quais a principal seria viabilizar modos para que estados e municípios consigam pagar suas dívidas com o Governo Federal.

Recentemente o Ministério da Fazenda solicitou permissão para fechar o ano com um rombo de quase R$ 100 bilhões na conta.

Publicidade

A idéia é fazer concessões à indústria de forma a conseguir "retomar o crescimento do PIB".

A economia enfraquecida, sem expectativas de melhora e um processo de impeachment em andamento, somente comprometem os planos de Nelson Barbosa para conseguir retomar crescimento, demitir servidores federais...

O que mais emperra os atos dos últimos ministros que passaram pela Fazenda (Levy e Barbosa), é justamente a falta de credibilidade do Governo Federal e em especial a falta de apoio político, afinal a qualquer momento a administração petista pode vir a ruir. #Crise econômica