Para Rodrigo Suarez, fundador do site #Justiça Seja Feita, que une advogados a consumidores com necessidade de auxílio legal nos Juizados de Pequenas Causas, é importante compreender que nem sempre as agências reguladoras de Direito do Consumidor resolvem quando há alguma reclamação. Isso, na visão dele, não diminui a importância do consumidor procurar os órgãos competentes para registrar queixa contra uma determinada empresa. ”É extremamente importante para o país que o consumidor faça essas reclamações para ajudar na fiscalização e no combate às más práticas comerciais”, diz.

No entanto, ele afirma que muitos consumidores consideram que reclamar no Procon ou em algum órgão regulador obrigará o prestador de bem ou serviço a compensá-los.

Publicidade
Publicidade

Porém, esse tipo de situação só ocorre no momento em que há uma concordância entre ambos. Ou seja, quando a empresa reconhece a reclamação e considera que a compensação exigida pelo consumidor está de acordo.

Quando isso não acontece, a tendência é levar a situação para a Justiça, única instância capaz de fazer o julgamento do caso, executar sua sentença e, finalmente, exigir que o consumidor seja devidamente compensado. #Opinião