As escolas públicas do Pará enfrentam sérios problemas pela falta de segurança, por isso realizaram um encontro para debaterem o assunto. Participaram do evento, a Cipoe (Companhia Independente de Policiamento Escolar), e técnicos da Seduc (Secretaria de Estado de #Educação) e os diretores da USEs (Unidades Seduc nas escolas).

A reunião aconteceu na segunda-feira (7) e os diretores foram orientados sobre como proceder quando ocorrerem roubos e assaltos nas escolas. Foram passadas informações sobre medidas a serem adotadas em casos de violência no interior e exterior dos estabelecimentos escolares.

Escola Cordeiro de Farias, em Belém

A Escola Estadual Cordeiro de Farias, localizada na Avenida Almirante Barroso (Belém), foi alvo de vários assaltos.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações, os roubos aconteceram muitas vezes e levaram o material didático da escola.

Uma pessoa, que não quis se revelar, falou que a última ocorrência de roubo foi na sexta-feira (28). Os meliantes abordaram a entidade de ensino à luz do dia, renderam funcionários e alunos. De acordo com o relato, os bandidos sempre assaltaram a noite, quando não havia mais aulas ou nos fins de semana.

As pessoas da escola disseram que os ladrões invadem o local de ensino pulando os muros do fundo e se escondem no mato. Eles carregaram todo o equipamento da sala de informática, sendo um total de quinze computadores. Os furtos já aconteceram duas vezes, através de um buraco aberto por eles no telhado da sala.

A funcionária, que trabalha há anos na escola, disse que nunca havia presenciado essas cenas de roubo no local e que eles já são constantes.

Publicidade

Segundo a mesma, os ladrões levaram o material didático e os equipamentos da sala de multimídia, que eram destinados aos alunos especiais, além de roubarem o liquidificador e o gás de cozinha.

Com os assaltos rotineiros a Escola Cordeiro de Farias passou a ter evasão de alunos, que foram para outras instituições de ensino. Em uma semana perderam sete alunos e outros ameaçam sair.

Uma estudante anônima revelou que os alunos estão com medo de ir estudar por causa dos assaltos. Ela disse que os bandidos batem neles, caso não tenham nada que eles possam levar. Ela questionou sobre "como vai ficar", se referindo aos assaltantes.

Na quarta-feira (2) houve protestos de estudantes da Escola Pedro Amazonas Pedroso e Cordeiro de Farias. Eles fecharam um pedaço da Avenida Almirante Barroso, em Belém, e protestaram contra a insegurança.

A Seduc (Secretaria de Estado da Educação) informou que eles estão realizando ações de prevenção contra a violência no recinto interno e fora da escola. Estão fazendo palestras com os alunos, monitoramento policial, abordagens de pessoas nas ruas e motoristas de carros em ruas próximas a escola.

A Cipoe recomenda que em caso de assaltos liguem para o 190 e a Polícia Civil será notificada e irá ao local.