Luiz Inácio #Lula da Silva foi indicado para ocupar o cargo de Ministro da Casa Civil, mas independente do cargo que ele fosse ocupar, já estaria decretado o fim do governo de Dilma Rousseff para recomeçar o governo Lula, já que ele ficaria responsável por todas as articulações políticas e pela tentativa de evitar o afundamento do PT.

Agora Lula é uma espécie de "Primeiro Ministro" e Dilma seria a "Rainha", ou seja, ela viaja, faz discurso e aparece nas fotos, mas quem toma as decisões importantes para o país é ele. Todo mundo sabe que a criatura jamais supera o criador e Dilma Rousseff nada mais é que a solução encontrada pelo PT para continuar no comando quando Lula chegou ao fim de seu segundo mandato.

Publicidade
Publicidade

Como não era possível se candidatar novamente, Dilma foi a saída encontrada para manter o partido no poder.

Estão dizendo inclusive que a presidenta governou o Brasil de 1º de janeiro de 2011 a 16 de março de 2016, data em que ela "abdicou do poder" e Lula assumiu de vez as rédeas da nação. Agora, o que uma boa parte da população brasileira está querendo é "apear" Lula de seu cargo e aproveitar para providenciar o impeachment de Dilma. Junto com a população estão vários partidos e muitos políticos estão trabalhando muito para aproveitarem este momento favorável para conseguirem de vez, tirar a "Rainha" do poder.

Lula foi ser Ministro da Casa Civil para se livrar do Juiz Sergio Moro que, como despedida, liberou o grampo telefônico para o país conhecer melhor quem são o “Primeiro Ministro” e a “Rainha” que governariam juntos o país. O futuro do Brasil é incerto, para muitos o impeachment é a única solução, para outros é impossível que Lula continue como Ministro e há aqueles achando que, infelizmente, mais uma vez tudo acabará em “pizza”.

Publicidade

Só que desta vez o cenário é bem diferente, os protestos nas ruas estão se fortalecendo e parece mesmo que o povo vai dizer “não” à corrupção que assola o país.

Será que Lula conseguirá levar adiante seu 3º mandato? Ou ele será deposto do cargo?

Deixe abaixo seu comentário! #Crise no Brasil #Protestos no Brasil