Na noite deste sábado, 19, um espetáculo teatral não teve fim depois de uma enorme confusão. 'Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos' era apresentado em um #Teatro de Belo Horizonte, Minas Gerais, quando o ator que interpreta o cantor Chico Buarque, Cláudio Botelho, que também dirige a peça, decidiu fazer uma improvisação em cena. Apesar de não dizer os nomes de Lula e Dilma, ele questionou em cena se teríamos uma presidente vítima de impeachment e um ex-presidente preso. 

Chico Buarque é assumidamente petista e até se envolveu em uma confusão no início do ano, quando foi chamado de ladrão. Muitos petistas também estavam na apresentação no momento em que o ator disse as frases.

Publicidade
Publicidade

Eles não gostaram do comentário e começaram a gritar a vaiar o espetáculo. Em seguida, um grupo de pessoas, quase metade do teatro, começou a gritar que não iria ter golpe. O ator tentou continuar a encenação, mas a situação só piorou. O intérprete de Chico Buarque pediu respeito a arte e disse que quem não estivesse satisfeito, poderia ir embora. 

Poucas pessoas saíram e enquanto a peça não foi cancelada, os manifestantes continuavam gritando que não haveria golpe no Brasil. A polícia precisou ser chamada para conter a confusão, mas ninguém chegou a ser detido ou preso. Os profissionais da segurança ajudaram os atores, que precisaram sair pela porta dos fundos do teatro. O Sesc, por meio de nota enviada ao UOL, disse que a instituição não tem qualquer partido e que entende o momento de debate que passa o país A entidade disse que a peça foi cancelada em prol da segurança. 

Em entrevista ao UOL, Claudio Botelho  reclamou da atitude do público e se disse assustado.

Publicidade

Ele lembrou que estamos em 2016 e que ainda temos peças interrompidas. "Está restaurada a censura", desabafou. O profissional da dramaturgia disse que foi ingênua ao fazer a inferência em uma cidade governada por petistas. O governador de Minas Gerais é Fernando Pimentel, do Partido dos Trabalhadores, já o município de Belo Horizonte tem como prefeito Márcio Lacerda, do PSB.  #Impeachment #Protestos no Brasil