Um caso de grande repercussão no ano passado teve fim nesta quarta-feira, 16. Foram presos os suspeitos de terem feito ofensas racistas contra três personalidades da mídia, as atrizes Sheron Menezes e Taís Araújo, além da jornalista Maria Júlia Coutinho. O delegado Alessandro Thries, que ficou a frente das investigações, falou com a imprensa sobre as prisões. Ele revelou que a empreitada da polícia foi além das fronteiras do estado do Rio de Janeiro, sendo efetuada em sete estados. Ao todo, cinco pessoas foram presas, quatro delas já tinham mandado de prisão. A quinta foi presa em flagrante.

A atriz Taís Araújo fez um breve comentário sobre a operação e disse que está feliz porque a #Justiça foi feita.

Publicidade
Publicidade

Ela falou ainda que espera que crimes contra qualquer mulher negra não fiquem impunes. Além do Rio de Janeiro, a investigação também teve seus desdobramentos em São Paulo, Rio Grande do Sul, Bahia, Santa Catarina e Paraná. A operação desta quarta-feira também tinha onze mandados de busca e apreensão. 

De acordo com o delegado, o grupo preso teria feito as ofensas contra as personalidades e tinham justamente o objetivo de chamar a atenção, já que ficam famosos. Quem não aceitasse fazer as ofensas racistas, acaba punido dentro do grupo. O quinto preso, um homem, acabou sendo detido em flagrante por armazenar em sua casa vídeos de pedofilia, envolvendo crianças de um a cinco anos de idade. O delegado explicou ainda que a grande operação foi para mostrar que a polícia tem força e que o que se faz na internet não ficará impune. 

A garota do tempo do 'Jornal Nacional', Maria Julia Coutinho, usou uma rede social para compartilhar a notícia.

Publicidade

"Racistas não passarão!", escreveu ela. 

O delegado que investigou os crimes explicou que o que acontece na internet acaba deixando rastros e que é importante que os envolvidos prestem queixas. Ainda segundo o titular da investigação, novas pessoas ainda podem parar na cadeia por conta do caso. Alessandro Thries explicou que o grupo é imenso e está em diversas regiões do país.  #Crime #É Manchete!