Os protestos de 13 de março foram mais do que gritos de basta para a #Corrupção que assola o país, mas tornaram-se o maior evento popular da história da democracia brasileira. O número de manifestantes nas ruas superaram os participantes das 'Diretas Já'na década de 80.

O Instituto Datafolha, que acabou perdendo um pouco de credibilidade nas últimas eleições, informou que por volta das 16h haviam 450 mil pessoas em 23 quarteirões da Avenida Paulista, superando os 400 mil das 'Diretas Já'.

Entretanto, os organizadores do evento estimam que por volta das 17h haviam cerca de 2,7 milhões de pessoas no local. Jornalistas que faziam a cobertura do evento, também se mostraram surpresos com a quantidade de pessoas na #Manifestação, alegando que nem em dia de réveillon viram a região da Paulista tão cheia.

Publicidade
Publicidade

Quem estava presente também disse que o evento foi único e que não dava para andar em meio a multidão, havendo pouco espaço para cada pessoa. Os manifestantes também acreditam que haviam muito mais pessoas do que os organizadores anunciaram. Na Rádio Jovem Pan, informaram que duas pessoas saíram do estúdio da emissora, que fica na Avenida Paulista, para irem em um lugar à uma quadra da rádio, entretanto, demoraram uma hora para chegar devido o local estar completamente tomado por manifestantes.

A PM não divulgou um número de público presente no protesto, mas já haviam manifestado o posicionamento de que esperavam mais de um milhão de pessoas na manifestação antes mesmo da mesma acontecer.

Nas ruas foi possível ver homens e mulheres de diferentes idades e classes sociais, em sua grande maioria vestidos com camisetas verde e amarelo, bem como roupa branca ou com frases de repúdio a corrupção dos governantes.

Publicidade

Alguns idosos, mesmo com dificuldades para se locomover participaram do evento com andadores, muletas e até cadeiras de rodas.

Algumas pessoas, sobretudo idosos, chegaram a passar mal devido a grande saturação de pessoas no mesmo local e o calor. A maior parte dos comércios estavam fechados, por isso a compra por água e sucos foi dificultada. 

Em São Bernardo do Campo cerca de 450 pessoas, segundo a GCM local, protestaram à favor de Lula em frente seu apartamento, entretanto, o sindicato dos metalúrgicos alega que a GCM se equivocou, pois haviam 600 militantes no bairro. Lula os atendeu, tirou foto com os mesmos e depois entrou no prédio. Pouco depois a 'multidão' de 450 ou 600 pessoas se dispersou do local. #Protestos no Brasil