A presidente do Brasil, #Dilma Rousseff, está acompanhando de perto os protestos neste domingo, dia 13 de março e pede para as pessoas não serem violentas quando forem para as manifestações. Neste sábado (12), ela sobrevoou a cidade de Franco da Rocha, que foi atingida pela chuva, ficando com vários pontos de alagamento e muitas pessoas desabrigadas.

Dilma acha que todas as pessoas têm direito à rua, mas que ninguém tem direito de ser violento, e diz: "... a violência ninguém tem direito de fazer. Ninguém. Lado nenhum". Para ela é importante que haja respeito aos manifestantes e que os grupos que apoiam e são contra seu governo não façam provocações, não sendo cabível a violência, a provocação e também o vandalismo.

Publicidade
Publicidade

"Eu vivi em um momento em que se você se manifestasse, você ia preso," disse a presidente, lembrando que agora o momento é diferente, as pessoas têm o direito à manifestação, de dizerem o que pensam e isto precisa ser preservado, entretanto não pode ser tolerado o desrespeito.

Para ela é importante que o país mantenha esta conquista e que os protestos deste 13 de março façam parte de um momento importante pelo qual o país está atravessando, pois afirmam a democracia em que vivemos e por isto mesmo os brasileiros precisam tomar cuidado para que tais atos não "manchem" tudo que já foi conquistado.

Dilma Rousseff esteve com os prefeitos dos municípios de Mairiporã, Franco da Rocha e Francisco Morato, juntamente com Geraldo Alckmin para tomarem providências em relação às áreas atingidas pelas enchentes nos últimos dias. Os prefeitos das cidades atingidas pela chuva na Grande São Paulo irão receber um cartão que possibilita gastos imediatos e as famílias destas cidades que estiverem em áreas de riscos serão priorizadas dentro do programa "Minha Casa e Minha Vida", para que possam finalmente ir para um imóvel seguro e recomeçar suas vidas.

Publicidade

Os protestos neste 13 de março acontecerão por todo o Brasil e nas redes sociais o clima é tenso, por isso a polícia deverá intensificar a cobertura do evento para evitar confusões, brigas e vandalismo. #Corrupção #Protestos no Brasil