Diversos líderes políticos e o PT através de seu Twitter já repercutem o pedido de prisão preventiva solicitado pelo Ministério Público de São Paulo nesta quinta-feira, 10, contra o ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva. O motivo do pedido é que segundo a entidade, #Lula solto poderia intervir nas investigações a respeito do apartamento do Guarujá, em São Paulo. Além de Lula, outras seis pessoas também tiveram pedida a prisão preventiva. O pedido será analisado por Maria Priscilla Veiga Oliveira, juíza da quarta vara criminal de SP. Ela não tem um tempo estipulado para definir se existe ou não a necessidade de prender Lula preventivamente. 

20h55 - A notícia ganha grande destaque ao ser transmitido pelos principais noticiosos televisivos.

Publicidade
Publicidade

À TV Globo, o Senador Cristovam Buarque (PPS-DF) disse que Lula só pode ser preso se existir uma justificativa muito importante, não só para Lula, mas também para qualquer brasileiro. "Eu espero que o MP tenha levado isso em conta", justificou. 

20h50 - Diversas entidades políticas se pronunciaram sobre a reviravolta no mundo da política, especialmente em um momento em que Lula já era cotado para assumir algum Ministério no governo de Dilma Rousseff. Até o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, disse que o pedido não tinha fundamentos e que o Brasil vive um momento incomum em sua história.

20h40 - O Instituto Lula já havia soltado uma nota nesta quarta-feira, 09, quando as acusações contra Lula foram anunciadas pelo MP de São Paulo. Através de seu perfil no Twitter, o Partido dos Trabalhadores, o #PT,  também se posicionou diversas vezes sobre o pedido de prisão.

Publicidade

"Lamentável que promotores irresponsáveis manchem a imagem de instituição tão importante como o MP". Em outro momento, o promotor do caso foi chamado de ignorante: "Além de tudo, promotor do MP-SP é ignorante", começou na mensagem registrada no microblog de 140 caracteres. "Queria se referir a Engels, mas citou Hegel. Nunca leu nem orelha de livro de Marx ", finalizou o perfil.  #Reforma política