#Gisele Bündchen, que é representante brasileira nas Nações Unidas, decidiu sair da neutralidade e ficar a favor de Sérgio Moro. Em Curitiba, o juiz, após receber a notificação de que o caso de Lula seria passado para o Superior Tribunal Federal, decidiu expor as conversas do ex-presidente feitas por telefone. Nelas, o líder petista fala sobre seus próprios aliados e também cita o próprio Moro.

A modelo, por outro lado, soltou postagem em rede social afirmando que está de acordo com os grampos, pois, segundo ela, os governantes não podem esconder do povo que os elege.

“A democracia em uma sociedade livre – diz a postagem da modelo – exige que os governados saibam o que fazem os governantes”, concluiu em postagem no Instagram, citando Sérgio Moro.

Publicidade
Publicidade

Isso dividiu as opiniões dos seus seguidores, pois, uns foram de acordo com as defesas da loira, outros simplesmente não gostaram de ela ter entrado nesse clima de ‘disputa política’ pelo governo federal. “[...] tu me decepcionas depois dessa”, disse uma seguidora de Gisele, bastante decepcionada por ela ter se manifestado favorável ao juiz de Curitiba.

“Parabéns Gisele [...]”, diz outra seguidora, parabenizando-a pelo ato da decisão de se manifestar e ter opinião no assunto do momento em todo o país. Outro seguidor reclamou de ela ter se posicionado, porque, segundo ele, é muito fácil uma personalidade do mundo dos famosos dar opinião política sendo que, no momento, a mesma celebridade não se encontra presente no país. A modelo não está no Brasil.

Gisele tem uma irmã que faz parte do Poder Judiciário, a juíza Graziela Bündchen.

Publicidade

Ela trabalha na 1ª Vara Federal de Porto Alegre e também teve o nome citado pelos seguidores do Instagram de sua irmã Gisele. Segundo um dos seguidores, a irmã da modelo indeferiu um pedido feito através de populares com embasamento e isso teria desagradado a muitos.

Gisele, no próprio post, não respondeu às acusações feitas por alguns dos seus seguidores. Em outras situações, a modelo havia afirmado que preferia ficar observando o que acontecia e que não pretende entrar em debates políticos brasileiros com pessoas ‘visivelmente’ alteradas. #Justiça #Impeachment