Para tristeza de muitos, neste ano o feriado de 1º de maio: Dia do #Trabalho, caiu num domingo. Mas nem por isso vai ser um dia que vai ficar livre de homenagens e comemorações. A empresa de tecnologia norte-americana Google já está fazendo a sua parte. Usuários do seu buscador, do navegador Google Chrome e do aplicativo para smartphones Google Now estão sendo lembrados da data por meio de um doodle (desenho) por profissionais não tanto prestigiados como deveriam: mecânico, encanador, carpinteiro, soldador e pedreiro.

O 'Dia do Trabalho' ou 'Dia do Trabalhador', como muitos preferem chamar, não acontece apenas no Brasil.

Publicidade
Publicidade

Outras centenas de países ou decretam feriado, ou realizam eventos e passeatas para não deixar a data passar em branco. Na América Latina todos os países celebram o Dia do Trabalho em 1º de maio, bem como a maioria massiva dos países da Europa e da África.

Data no Brasil

Mesmo com o número alarmante de cerca de 11 milhões de desempregados no país, sindicatos de todo o Brasil vão incentivar uma série de atos em favor do povo trabalhador.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) promove neste domingo atos em 20 estados, mais o Distrito Federal. No Recife, por exemplo, tem gente acampada no local de partida da passeata, no bairro do Derby, desde a semana passada.

Em São Paulo, no Vale do Anhangabaú, está marcada para às 10h o início da "Assembleia Popular da Classe Trabalhadora contra o Golpe, na Defesa da Democracia e Por Nossos Direitos".

Publicidade

A festa contará com a presença da Presidente da República, #Dilma Rousseff, e do ex-presidente Lula.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, por causa do teor mais político do evento neste ano, o Banco do Brasil e a Petrobras decidiram - de última hora - reprovar os patrocínios para as ações do Dia do Trabalho. A direção da Força Sindical e da CUT só foram avisados da desistência das duas companhias na última quinta-feira, 28. Por isso, os responsáveis pelos atos estão tentado criar uma forma de esconder a marca das empresas nos panfletos e banners já impressos.

BB e Petrobras desembolsaram cerca de R$ 600 milhões para apoiar os atos promovidos pela CUT, Força Sindical e UGT (União Geral dos Trabalhadores) em 2015.

A presidente Dilma Rousseff deverá anunciar ainda um reajuste no valor do benefício do programa Bolsa Família, criado para fornecer uma pequena ajuda financeira a famílias de baixa renda. #Crise-de-governo