Em meio a efervescência política após a votação ocorrida neste último domingo (17), que deferiu o processo de Impeachment pela Câmara dos Deputados ao qual encaminhou-se para o Senado Federal nesta semana,  Michel Temer trocou o Palácio do Jaburu, sede oficial da vice-presidência em Brasília-DF, para o seu escritório na praça Panamericana em São Paulo.

A movimentação contínua do vice-presidente entre Brasília e a capital paulista acabou despertando a curiosidade da vizinhança e posteriormente atraindo os veículos de imprensa e estima-se que o mesmo recebeu vários caciques do Partido da Mobilização Democrática Brasileira (PMDB) como por exemplo o ex-Ministro de Segurança da Aviação Civil, o senhor Eliseu Padilha, cujo nome é cotado à Secretária de Governo neste eventual governo.

Publicidade
Publicidade

Após chegaram para este encontro o ex-Ministro da Integração Nacional e candidato derrota ao Senado Federal pela Bahia, o senhor Geddel Vieira Lima, juntamente com Moreira Franco. 

Fizeram-se presentes na mesma oportunidade o senador Romero Jucá (PMDB-RR), o promotor José Yunes, o cientista político Gaudêncio Torquato e também Delfim Neto, o qual na saída foi questionado se poderia assumir algum Ministro e o mesmo alegando a sua idade avançada de 88 anos, mostrou indisposição para aceitar quaisquer convites desta natureza.

O ex-Ministro da Fazenda, ainda em diálogo com a imprensa nacional, esbanjou simpatia e otimismo para com o projeto de reconstrução nacional com prioridade no âmbito econômico, além de elogiar o vice-presidente ao afirmar que este possui boas ideias.

Entre os nomes cotados ao eventual governo Temer, aparece para assumir a Advocacia Geral da União, o senhor Alexandre de Moraes que atualmente exerce a Secretaria de Segurança de SP, enquanto para condução do Banco Central surgem Illan Goldfajn; Amaury Bier e também Mauro Mesquita. 

O ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles poderá "comandar" o Ministério da Fazenda enquanto na possibilidade de recusa deste, foram também convidados o atual governador do Espírito Santo Paulo Hertung, o presidente da Febraban Murilo Portugal, o presidente do Insper ex-secretário de Política Econômica da Fazenda Marcos Lisboa e o ex-presidente do Banco Central durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, o senhor Gustavo Franco.

Publicidade

O ex-Ministro do Desenvolvimento Sérgio Amaral e o Secretário-geral das Relações Exteriores Sérgio Danese foram convidados para o Ministério das Relações Exteriores, enquanto ainda nesta presente situação encontram-se configurados para assumir o Ministério da Justiça os nomes de Carlos Ayres Brito, o também ex-Ministro do STF Carlos Velloso e o ex-Secretário de Justiça e da Segurança Pública de SP, o senhor Antônio Cláudio Mariz de Oliveira.

Ainda na saída da reunião, o senador roraimense Romero Jucá admitiu que nas atuais circunstâncias caso #Michel Temer venha realmente assumir a Presidência da República, este já possui condições propícias de nomear a sua equipe. #Impeachment #Crise no Brasil