A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) divulgou nesta quinta-feira, 14, uma nota em que confirma as informações contidas em uma reportagem do jornal O Dia, que dizia que a instituição havia informado em um evento de segurança que o Brasil recebeu uma ameaça do Estado Islâmico, uma das maiores organizações terroristas do planeta. O fato criou alarde, é claro, afinal, o Brasil receberá as Olimpíadas do Rio de Janeiro neste ano. No entanto, porque tal fato só foi divulgado agora e a três dias do processo de #Impeachment contra a presidente da república Dilma Rousseff?

De acordo com a própria Abin, a ameaça foi feita em novembro do ano passado, ou seja, há cinco meses.

Publicidade
Publicidade

Através do Twitter, o francês Maxime Hauchard disse que o próximo alvo da organização seria o Brasil, chamado de "país de merda" pelo homem que é um dos principais decapitadores do Estado Islâmico, aparecendo em diversos vídeos da internet. A agência disse que investigou o terrorista e que a publicação realmente foi real. O perfil do decapitador foi excluído do Twitter. A ameaça aconteceu depois dos atentados terroristas em Paris, na França, que deixaram 129 mortos. 

Por conta da ameaça, o país decidiu intensificar ainda mais a segurança no Rio de Janeiro no fim do ano. O país já vive um clima tenso por conta da rivalidade política. Nesta semana, o governo do Distrito Federal, por exemplo, colocou muros perto da esplanada dos ministérios, evitando que grupos pró e contra Dilma entrassem em conflito.

Publicidade

Não seria mais prudente ter divulgado um fato como esse antes ou depois desse processo, especialmente porque esse aconteceu a tantos meses?

A falta de zelo chamou a atenção de muitos brasileiros. Alguns chegaram a brincar com a situação usando as redes sociais, dizendo que o maior terrorismo de nosso país é a política. No entanto, o assunto é coisa seríssima. Caso a ameaça fosse recente, ela merecia sim ser divulgada, mas alvo já caduco e que vem à tona em um momento inoportuno sempre será alvo de especulações. Essa é a primeira vez que uma instituição ligada ao governo federal confirma uma ameaça formal do estado islâmico, que já atacou as principais potências do mundo. #Lula #Dilma Rousseff