‘Brasil, vocês são nosso próximo alvo. Podemos atacar esse país de merda”, essa foi a mensagem que o Estado Islâmico mandou para o governo brasileiro. Nesta quarta-feira, 13, a Agência Brasileira de Inteligência, a Abin, confirmou que a mensagem era verdadeira e partia de Maxime Hauchard, de 22 anos, um dos terroristas mais conhecidos do grupo. Ele aparece em diversos vídeos decapitando opositores. A revelação foi feita pela Abin faltando poucos dias para a votação do impeachment, em um momento que o Brasil já vive um período super tenso e também às vésperas das Olimpíadas no Rio de Janeiro. 

Apesar da confirmação ter sido feita agora, a mensagem foi publicada ainda no fim do ano passado, pouco tempo depois dos atentados que deixaram 129 franceses mortos.

Publicidade
Publicidade

Por conta das ameaças, o Twitter cancelou a conta do terrorista, mas o monitoramento virtual feito pela agência brasileira confirmou que a ameaça realmente partiu do estado islâmico. A Abin disse ainda que existe um grupo radical no Brasil que usa a internet para se conclamar pertencente à mesma vertente terrorista. A novidade que aterroriza foi revelada por Luiz Alberto Sallaberry, diretor de Contraterrorismo da Abin, e foi feita em uma feira de segurança que acontece no Rio de Janeiro. 

O perfil do terrorista foi traçado pela Abin. Luiz explicou que Maxime é um garoto-propaganda do movimento que já deixou centenas de mortos no mundo e que ameaça as maiores potências do planeta. Ele é nascido na França e faz parte do grupo terrorista desde que tem 18 anos. Sua importância no Estado Islâmico é grande, já que ele seria o segundo na linha dos chamados decapitadores. 

O representante da agência de inteligência brasileira disse que é preocupante o aumento de brasileiros que está fazendo juramentos ao califado do grupo terrorista e lembra que o estado islâmico deturpa a religião islâmica e prol da conquista de novos territórios.

Publicidade

A preocupação maior é das ações que podem ser feitas solitárias, como a dos homens e mulheres bombas, também conhecidos pelo grupo como "lobos solitários". O representante da Abin lembrou ainda que não é necessário ter contato presencial com o grupo terrorista para realmente fazer parte dele, lembrando que diversos ataques ao redor do mundo aconteceram com ordens que partiram da internet.  #Terrorismo #Dilma Rousseff #Impeachment