Uma semana após os atentados coordenados na França, em novembro de 2015, que deixaram como resultados dezenas de feridos e cerca de 130 mortos, um membro do #Estado Islâmico postou em sua conta na rede social Twitter, uma ameaça ao Brasil: "Brésil, vous êtes notre prochaine cible, nous pouvons attaquer ce pays de merde", em tradução livre "Brasil, vocês são nosso próximo alvo, nós podemos atacar esse país de merda".

Esse não se trata de um caso em que se tem uma notícia ruim e outra notícia boa - são duas notícias ruins: a primeira é que a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) confirmou na última quarta-feira (13) que o perfil realmente pertence ao terrorista do grupo extremista Estado Islâmico e a segunda é que esse terrorista é Maxime Hauchard, um francês, de 22 anos, que é ninguém menos que o segundo na linha de comando de decapitadores do EI. 

A confirmação foi feita por Luiz AlbertoSallaberry, na Feira Internacional de Segurança, que está sendo realizada no Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Sallaberry é Diretor de Contraterrorismo da Abin, e informou ainda que a conta do terrorista francês já foi suspensa na época. "Monitoramos e percebemos que o perfil realmente era do Maxime, um dos líderes do Estado Islâmico.", disse o diretor. Ele também contou que a partir dessa postagem, a intensidade nos discursos de agressividade aumentaram, por parte de quem é autoproclamado seguidor do grupo terrorista no Brasil. Sallaberry também falou sobre um crescente nível de pessoas que alegam ter feito o juramento ao califado do grupo terrorista Estado Islâmico. Esse juramento é o que determina que a pessoa está pronta para atender qualquer ordem vinda do grupo terrorista, mesmo que seja cometer algum atentado violento - o diretor da Abin lembrou ainda que essa ordem não precisa ser presencial, pode ser dada mesmo via internet.

Publicidade

Sobre a segurança durante os Jogos Olímpicos

Essa notícia, mesmo sendo uma postagem feita pelo terrorista em novembro passado, continua preocupando, principalmente por causa do grande evento dos Jogos Olímpicos que acontecerá no Rio.

O diretor de Contraterrorismo da Abin informou que muito trabalho está sendo feito na preparação de pessoal para a segurança máxima durante os Jogos Olímpicos. No próprio site da agência percebe-se que desde a segurança digital, até o preparo de equipes de defesa para estágio de descontaminação e muitas outras abordagens.

Sallaberry diz que as redes sociais estão sendo pesadamente monitoradas, como forma de combate ao #Terrorismo e que por razões de segurança, não tem como divulgar o número de pessoas que se alegam autoproclamadas - e que,. é claro, estão sendo monitoradas.

Lobos solitários

A maior preocupação da Agência Brasileira de Inteligência,a  Abin, para os Jogos Olímpicos, é na verdade os ataques do "lobos solitários", como são chamados aqueles que praticam sozinhos os ataques.

Publicidade

As delegações são classificadas pela agência por nível, Estados Unidos e Canadá, por exemplo, foram classificadas como nível "muito alto" de risco de ataques, já o nível de ameaça à delegação brasileira é considerado "alto". #Ataque Terrorista