Em entrevista coletiva após a votação na Câmara dos Deputados que aprovou o prosseguimento do Impeachment no Congresso para apreciação do Senado, o advogado-geral da União José Eduardo Cardozo reafirmou que a presidente não renunciará ao cargo. Segundo ele, o fato de Dilma ser vítima de uma ação orquestrada faz com que ela continue lutando pela manutenção do estado de direito e pela democracia.

Cardozo também disse que o Governo recebeu o resultado com “indignação e tristeza”. De acordo com o governista, a ausência de justificativas ligadas aos motivos do #Impeachment durante a votação demonstraram o caráter "puramente político" do resultado.

Publicidade
Publicidade

Além disso, o chefe da Advocacia Geral da União reforçou o discurso de ilegitimidade de um possível governo de Michel Temer que, nascido de uma ruptura institucional, não teria condições de pacificar o país.  

Quanto à votação no Senado, Cardozo manteve o otimismo e afirmou ser possível conseguir uma vitória com os senadores. Segundo ele, o fato de ser um julgamento “dentro do que a lei escreve” facilitará para o Governo se defender. #Dilma Rousseff