O deputado federal do Partido Social Cristão revelou em uma rede social oficial, que antes de Jean Wyllys protagonizar a cena do cuspe em Jair Bolsonaro, o provocou três vezes.

Segundo Marco Feliciano concluiu, o ‘deputado BBB’, como ele mesmo se refere, viu que não conseguiu nada o atacando e decidiu cometer o ato indecoroso contra Jair Bolsonaro. A revelação do parlamentar pegou muita gente de surpresa, mas ao mesmo tempo, seus milhões de seguidores e eleitores não tiveram dúvidas, afinal, é conhecido do público os constantes atritos entre o socialista e a bancada evangélica.

Além disso, Marco também revelou essa semana que após votar pelo #Impeachment de Dilma, começou a ser ameaçado de morte, bem como através de mensagens de texto ameaçaram estuprar as suas filhas.

Publicidade
Publicidade

Veja a matéria sobre o assunto clicando aqui.

Imagens feitas pela TV Record News, mostraram Jean avisando para outra pessoa, ‘Chico’ que iria cuspir no deputado Jair Bolsonaro. Pouco depois, enquanto dezenas de deputados se aglomeravam sorrindo pelos mais de duzentos votos computados naquele momento e dizendo ‘Tchau, querida’, Jean então passa, chega rapidamente em um espaço entre um parlamentar e Jair e cospe em sua direção, dando as costas e saindo do local rapidamente.

Em sua defesa o socialista e defensor do governo de Dilma, publicou um ‘desabafo’ em sua página oficial do Facebook, em que admite o cuspe e diz que Bolsonaro tentou agarrar o seu braço violentamente, além de chamá-lo por palavras homofóbicas, como ‘boiola, veado e queima-rosca’. As imagens mostradas por dois ângulos diferentes evidenciam o contrário, onde Bolsonaro está distante de Jean e o socialista que se aproxima do seu ‘rival’ político para cuspir.

Publicidade

A cena foi tão impactante e repudiável que inúmeros meios de comunicação lamentaram o ocorrido, inclusive, homossexuais usaram redes sociais para dizer que Jean não os representa. Uma das homossexuais que demonstraram essa opinião é Karol Eller, que criticou a conduta de Jean e defendeu Bolsonaro. Políticos também criticaram o ato e devem se unir para pedir a cassação de Jean junto ao Conselho de Ética da Câmara.

Coma a repercussão, Roberto Cabrini. Jornalista conceituado do SBT, encontrou-se com os dois deputados (claro que em ocasiões diferentes) para saber de cada um, dentre outras coisas, o que tinha acontecido. De forma imparcial, Cabrini promete mostrar os dois lados da moeda no Conexão Repórter que vai ao ar nesse domingo, após o Programa Silvio Santos. #Câmara dos Deputados #Crise-de-governo