Antes de começar essa matéria, gostaríamos de lembrar que não é crime fazer propaganda para o governo federal nem para seus órgãos. O relato que vem a seguir serve de reflexão a todos. Um dos maiores apoiadores da presidente Dilma Rousseff, o cronista Gregorio Duvivier, assim como Letícia Sabatella, já foi contemplado com algum benefício estatal, seja através da lei Rouanet, no caso de Sabatella, ou na forma de contratação para propagandas, como foi o caso de Duvivier. Tudo na mais perfeita legalidade, até que digam o contrário. Em julho do ano passado, o apoiador da presidente foi contratado pelo Banco do Brasil para criar mensagens motivacionais aos mais de 100 mil funcionários do banco. 

A contratação aconteceu meses depois da reeleição de Dilma e de Gregório anunciar abertamente que seu voto seria nela.

Publicidade
Publicidade

Muito admirado com seu trabalho, Duvivier é ainda um dos líderes do 'Porta dos Fundos'. O Banco do Brasil não informou quanto o cronista recebeu para escrever textos, apenas disse na época que o objetivo da contratação de Gregório era para motivar o público do banco. A notícia foi confirmada por vários veículos de comunicação, como a 'Isto É' e a 'Veja'. 

Inicialmente, o trabalho do cronista foi discreto, apenas visto pela intranet dos funcionários do banco. Até o fim de julho, ele já tinha gravado dois vídeos e escrito três textos. Um deles brincava com o fato de trabalho ter algum significado e que não era nada ruim trabalhar. Para muita gente, a imagem dos servidores acaba sendo a de "preguiçoso", já que os órgãos públicos tendem a ter uma rotina de muita burocracia. A verdade, é claro, é que cada pessoa é única e não é bom generalizar nada. 

Oito meses depois da boquinha no 'Banco do Brasil', Gregório escreveu neste sábado, 02, em seu Facebook um recado contrário a possível prisão de Guilherme Boulos, líder do Movimento dos Sem Teto e que disse em uma manifestação que não haveria paz no Brasil se o #Impeachment da presidente iria ou não acontecer. 

"Agora os ladrões de merenda querem prender Guilherme Boulos por incitação ao crime.

Publicidade

A violência não é dos movimentos mas das margens que o comprimem. To com o Boulos e contra os criminosos que querem silenciá-lo", publicou ele.  #Lula #Dilma Rousseff