O mundo da política e da discussão sobre ela na internet teve uma queda e uma reviravolta nesta segunda-feira, 04. Após apoiar a permanência da presidente Dilma Rousseff no poder, demostrando ao mesmo tempo ser contra o #Impeachment, mas também não concordando com o governo, a atriz Letícia Sabatella deve sua página no Facebook retirada do ar após muitas denúncias. Em entrevista ao jornal carioca Extra, ela falou sobre o bloqueio e que não descarna entrar com um processo com quem está mandando mensagens de ódio contra ela, uma medida para tentar parar os chamados "haters". O Facebook ainda não deu uma posição oficial sobre o caso, mas Letícia credita a queda à possíveis denúncias contra ela, especialmente por conta do seu posicionamento político que ela tem manifestado. 

Nas redes sociais, o público tem se dividido entre o apoio e as manifestações contrárias à Letícia.

Publicidade
Publicidade

Até um hashtag chegou a ser usada pelos fãs da opinião de Sabatella. De acordo com a atriz, o desbloqueio da página aconteceu porque houve um reação contrária ao movimento que tentou bloqueá-la. Segundo a mulher que é contrária ao impeachment, algumas pessoas teriam entrado em contato com o diretor da empresa. O jornal Extra não menciona se esse contato aconteceu aqui no Brasil ou no exterior. 

A atriz agora pretende tomar medidas mais enérgicas para evitar que esse tipo de coisa volte a acontecer. Ela tem consultado especialistas e a ameaça uma reação, ainda não informada. Depois de discursar no Palácio do Planalto no último dia 31, Letícia confessa que deve tomar medidas cabíveis a quem estaria atacando na internet.

Ela diz que se preocupa com o que acontece no país e chama esse movimento de polarização de ódio.

Publicidade

Por isso, ela está refletindo sobre o que fazer para tentar diminuir os ataques. "Vou tomar alguma providência e mostrar que existe limite", disse ela. Letícia disse que muita gente tem se achado no direito de ser ofensivo e preconceituoso com ela e que isso é lamentável. Ela ainda chamou a iniciativa de "ódio cego".  #Lula #Dilma Rousseff