Uma casa estaria sendo preparada de modo frenético em Nova York, nos Estados Unidos, para receber a presidente da república Dilma Rousseff. A informação foi confirmada nesta segunda-feira, 18, pela jornalista Míriam Leitão, do jornal O Globo. A casa pertence ao Itamaraty e pertence a um embaixador brasileiro que trabalha junto à Organização das Nações Unidas (ONU). Míriam Leitão explicou que o Itamaraty não falou sobre o assunto ou disse o que motivaria o preparo da casa para a estadia de Dilma. O que se sabe até agora é que haverá um reunião na próxima sexta-feira, 22, organizada pela entidade.

Ou seja, caso Rousseff queira participar do encontro, ela precisará acelerar a organização de suas malas.

Publicidade
Publicidade

O encontro está sendo organizado por Ban Ki-moon, secretário-geral da entidade, e deve discutir o acordo climático debatido em Paris. A ideia é que a presidente aproveite o evento para se reunir com líderes internacionais, tentando conseguir apoio contra o seu processo de impeachment. Tal estratégia chegou a ser publicada pelo jornalista Lauro Jardim, que disse que Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva estariam planejando viajar para o exterior na tentativa de se defenderem contra o "golpe".

A suposta viagem ao exterior aparece em um momento após Lula ser acusado de armar uma estratégia para fugir do país e se exilar no exterior. A informação foi negada pelo instituto do ex-presidente. Uma das polêmicas a respeito desse assunto se deu também com a ex-primeira dama, Marisa Letícia, que tem dupla cidadania, brasileira e italiana.

Publicidade

Por isso, o exílio de Lula na Itália foi exposto por meios de comunicação como o mais provável. 

A informação gerou repercussão na Itália. Personalidades públicas criticaram o fato do governo ter dado a dupla cidadania para Marisa Letícia, que sequer mora no país, mas não dá o mesmo aval e credibilidade para milhares de pessoas que estão há anos vivendo no país, alguns até correndo o risco de serem deportados. Mais cedo, Dilma deu uma entrevista coletiva à imprensa internacional e não citou o suposto plano de tentar aliados no exterior.  #PT #Dilma Rousseff