Neste domingo (10), um homem que parecia estar possuído pelo mal, cometeu uma série de crimes no Rio Grande do Sul. Segundo o portal de notícias G1, os crimes aconteceram na cidade de Tramandaí, Litoral Norte do RS.

Possuído e drogado

André Goulart Pereira, de 41 anos, foi o responsável por vários crimes em Tramandaí no Rio Grande do Sul, entre eles o assassinato de sua companheira, Valesca de Paula, de 45 anos.

O homem enlouquecido, cometeu os crimes, após suspeitar que estava sendo traído por Valesca, ele é apontado pela polícia como responsável da morte da mulher, roubos, agressões e acidente de trânsito, todos cometidos no domingo em poucas horas.

Publicidade
Publicidade

Investigações apontam que André estava sob o efeito do crack, já que testemunhas disseram a polícia, que ele estava fazendo o uso da droga já há três dias consecutivos.

Como os crimes aconteceram

Segundo informações dadas pela polícia, a série de crimes começou na casa localizada no bairro Agual, onde de acordo com André, ele matou sua companheira a facadas, pois suspeitava que ela tinha um caso com seu amigo.

O delegado responsável pelo caso, Jerri Mendes, afirma que Pereira confessou a autoria do assassinato e disse " que foi por vingança". 

Depois de matar Valesca, André saiu em fuga, durante a tentativa desesperada de escapar, ele cometeu assaltos e sofreu dois acidentes de trânsito dos quais ele saiu praticamente ileso.

As investigações da polícia mostram que, André cometeu o primeiro roubo, em uma casa que estava com o portão aberto.

Publicidade

No interior da residência ele agrediu um casal de idosos e roubou o carro iniciando a fuga.

O aposentado Fernando Elzner, relata que André entrou na casa já muito agressivo, neste momento o aposentado acionou o alarme da residência, foi quando o assassino se assustou, entrou no carro e saiu em alta velocidade.

Na fuga ele perdeu o controle e sofreu o primeiro acidente, porém André roubou outro carro e continuou fugindo, até bater em um carro que estava estacionado,  foi quando capotou. Ao sair do carro, ele correu pela rua, mas logo foi alcançado por Diego de Oliveira, dono do carro que estava parado e foi atingido.

O sargento da Brigada Militar, Luis Henrique Fernandes, acredita que o homem realmente estava sob efeito de drogas, contudo, André tem várias passagens pela polícia e responde por outros dois homicídios.

  #Crime #Investigação Criminal #Casos de polícia