No fim da tarde desta segunda-feira, 11, vazou na imprensa o áudio que mostra o vice-presidente da república, Michel Temer, falando como se já fosse presidente da república. Ele fala sobre o #Impeachment de sua ex-aliada, Dilma Rousseff, e o que irá manter no governo da petista. O líder peemedebista fala em reunião para o pacto nacional, reunificando o país, dividido por conta da polarização política. O áudio que vazou na imprensa tem quase 14 minutos de durante e segundo a assessoria da vice-presidência seria apenas um ensaio enviado para os aliados, para ver o que poderia ou não ser

O discurso foi enviado por um grupo do Whatsapp do PMDB, mas pelo visto, pelo menos um dos integrantes do partido decidiu compartilhar a mensagem com outros colegas e com jornalistas.

Publicidade
Publicidade

Entre os trechos mais importantes, Temer diz que vai manter programas essenciais para os brasileiros, como o Pronatec e o Bolsa Família. Ele ainda diz que como presidente fará a salvação nacional e que vai dialogar entre legendas. 

A comemoração do vice fala em maioria significativa da aprovação na Câmara para o processo de impedimento de Rousseff. Até então, os principais veículos de imprensa do país davam a votação apertada. Segundo um infográfico montado pelo jornal O Estado de São Paulo, seriam 292 deputados a favor do impedimento da presidente, ou seja, faltariam pelo menos 50 para que o processo fosse enviado ao Senado. 

Curioso é que mesmo com a votação, Dilma ainda se manteria no poder. Precisaria que ele ainda fosse votado no Senado e que a maioria dos Senadores o aprovassem para que Rousseff fosse afastada ou deposta. 

A divulgação do áudio deve criar ainda mais problemas e acirrar ainda mais os votos na Câmara, em uma votação que promete ser ainda mais emocionante.

Publicidade

O vazamento ainda prejudica a imagem de Cunha e dar um respiro a mais para Dilma, que vai bater mais firmemente na tecla de que o líder peemedebista está dando um golpe de governo. É bom lembrar que o Supremo Tribunal Federal (STF) obrigou recentemente que Eduardo cunha analisasse um processo de impedimento contra o vice-presidente. Como é do mesmo partido que o vice, Cunha tem tentado dar manobras para não votar esse pedido.  #Michel Temer