Com a aprovação do impeachment de Dilma na Câmara dos Deputados, a perda de aliados e a suspensão de seu ‘quase’ privilegiado cargo como ministro da Casa Civil, #Lula teme ver o sol nascer quadrado o mais breve possível.

Dessa vez, a Operação #Lava Jato concluiu que há provas suficientes para retirar Lula do ‘patamar’ de investigado, para acusá-lo de ligação com a organização criminosa que lavou dinheiro público da Petrobras no maior esquema de corrupção que o país já viu.

A primeira acusação, que deve ser entregue nos próximos dias, é a que se refere a compra e reforma do Sítio Santa Bárbara, que fica localizado em Atibaia, interior paulista.

Publicidade
Publicidade

Para piorar a situação do petista, o Superior Tribunal Federal definirá se ele deve ou não tomar posse como ministro, entretanto, se a denúncia for feira antes, o mais provável é que os ministros optem, até por unanimidade, em não concedê-la para não interferir no processo judicial.

Além disso, o STF julgará se Lula será denunciado pela PGR (Procuradoria Geral da União) ou se será julgado pelo terror do PT, Sérgio Moro, juiz federal responsável pela Operação da Polícia Federal, Lava Jato.

Lula ainda é alvo de outras duas investigações da Lava Jato, que, por enquanto, não o denunciarão formalmente, mas quando forem, piorarão ainda mais a situação do ex-presidente. O sítio de Atibaia foi o escolhido pelos investigadores, pois se trata da investigação ‘mais robusta’.

Todos os inquéritos estavam suspensos depois que a nomeação de Lula à Casa Civil foi barrada por decisão judicial, bem como por Gilmar Mendes, ministro do STF.

Publicidade

A peça processual contará com todos os detalhes e provas colhidas que comprovam a relação de Lula, o sítio e o esquema do Petrolão. A defesa do ex-presidente sustenta a versão de que o sitio foi comprado por João Bittar, amigo de Lula e que também foi este quem bancou a reforma. A Policia Federal não acredita nessa versão.

A próxima semana pode terminar como começou, ou pode ter como assunto mais comentado, a denúncia e eventual prisão de Lula.

Deixe sua opinião sobre essa notícia. #Justiça