Dezenas de brasileiros decidiram mostrar seu patriotismo mesmo estando a milhares de quilômetros do Brasil nesta sexta-feira, 22. Eles se posicionaram em torno da sede da Organização das Nações Unidas (ONU) no estado de Nova York, nos Estados Unidos, onde a presidente Dilma Rousseff discursou. Havia a previsão de que a líder petista falasse que seu processo de #Impeachment é um golpe de estado, mas depois de muita pressão, a companheira política de Luiz Inácio Lula da Silva usou outro tom. Preferindo se ater às questões climáticas, Dilma disse apenas que o Brasil passa por uma grave crise política e que não deixaria que voltasse ao país o autoritarismo e o retrocesso. 

Com faixas que diziam em inglês que não há golpe no Brasil.

Publicidade
Publicidade

 Brasileiros preferiram as cores verde e amarelo para protestar. A manifestação foi dada com destaque pelo Movimento Brasil Livre (MBL) na internet. Eles também carregavam cartazes com o rosto de Dilma no formato de caricatura e reafirmaram à legalidade do processo de impedimento, que agora está no Senado Federal. De acordo com o colunista político Gerson Camarotti, da Globo News, existe agora a expectativa para que a líder petista utilize as entrevistas coletivas para tratar dos problemas políticos do país. Em um primeiro momento, a política voltaria neste domingo ao Brasil, mas o regresso foi antecipado para sábado, 23. Nesse meio tempo em que está nos Estados Unidos, o vice, Michel Temer, assumiu interinamente à presidência.

Antes mesmo de realizar seu discurso, Dilma estava sendo muito criticada pelo o que poderia falar.

Publicidade

A ex-Senadora Marina Silva chegou a publicar um artigo no UOL dizendo que esse tipo de postura poderia atrapalhar a diplomacia nacional. Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) também de pronunciaram contra a iniciativa, chamando-la de grande equívoco. Já para a Senadora Gleisi Hoffman, do #PT, a presidente não poderia estar em um lugar tão especial e deixar de falar sobre um grave problema que está acontecendo em seu país.  #Dilma Rousseff