A Confederação Nacional do Transporte (CNT) foi mais uma das instituições que decidiu abandonar a presidente da república Dilma Rousseff. Nesta quarta-feira, 13, a sigla decidiu anunciar oficialmente o seu apoio ao #Impeachment da petista. A votação acontece no próximo domingo, 17, na Câmara dos Deputados. No comunicado, a entidade promoveu um verdadeiro esculacho à Dilma, dizendo que era era uma "incapaz", pelo menos no que tange a capacidade de governar e se articular politicamente com os deputados e senadores. O argumento da CNT joga mais balde de água fervendo em Rousseff, que a cada dia tem perdido mais aliados e indecisos em relação ao seu processo de impedimento. 

A CNT disse também que a presidente acabou ficando sem nenhuma autoridade para comandar os processos necessários nesse momento de crise e que ela não está trazendo segurança aos seus eleitores e até mesmo ao cenário internacional, que estaria deixando de investir no capital humano e nas empresas brasileiras.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a entidade, outros países e seus investimentos são muito importantes para vencer a crise econômica. A falta de articulação política de Dilma ocasionaria, segundo a CNT, uma insegurança jurídica no Brasil. 

De acordo com o infográfico do jornal O Estado de São Paulo, até o momento, 309 deputados já disseram que vão votar pelo impedimento. Caso eles cumpram a promessa, faltariam ainda 33 para fazer o documento ir ao Senado, cerca de 10% dos votos totais. Mas ainda faltam 80 parlamentares que ainda não disseram qual posição irão tomar. Se metade deles forem com a oposição e metade com Dilma, já será suficiente para que o processo seja aprovado. Já se fala não oficialmente que a oposição teria nesse momento pelo menos 360 votos contra Rousseff. O governo desmente e diz que tudo pode acontecer até domingo. 

A votação abre oficialmente ainda na sexta-feira, 15, quando a defesa da presidente terá 25 minutos para mostrar seus argumentos.

Publicidade

O relator do impeachment também terá o mesmo tempo para falar na Câmara. Acaba também na sexta o prazo para os deputados se inscreverem para o momento que promete ser histórico. No domingo, os votos começarão a ser dados a partir das 14h. A previsão é que a sessão acabe entre 20 e 21h. #Lula #Dilma Rousseff