Em um gesto surpreendente, a oposição começou a comemorar nesta quarta-feira, 13, a vitória no #Impeachment contra a presidente da república Dilma Rousseff. A comemoração acontece quatro dias antes da votação histórica, prevista para ser realizada neste domingo, 17, na Câmara dos deputados. De acordo com a oposição, ao todo já são 349 votos contra Dilma. No papa realizado pelos partidos contra Rousseff há ainda os votos que serão contra ao impedimento.

Esses, nesta quarta, chegariam a 127. Pelo menos 37 parlamentares estão indecisos. Enquanto a oposição comemora, o governo diz que terá pelo menos 200 políticos a seu favor.

Publicidade
Publicidade

Diversos levantamentos, feitos por organizações sociais e veículos de comunicação não dão até o momento 130 apoiadores a líder petista. Enquanto a oposição já aparece com 330 nomes em média. 

Caso os dados venham a se confirmar, serão sete parlamentares contra Dilma a mais do que o mínimo necessário. Os partidos agora querem aumentar ainda mais este número para que o processo tenha ainda mais legitimidade. "Vamos para uma vitória acachapante, redentora!", disse aos jornalistas o deputado Mendonça Filho do Democratas de Pernambuco.

No momento em que os números foram divulgados muitos parlamentares e líderes políticos comemoraram com frases como "Fora Dilma" e jogando confete para o alto. Outros representantes das legendas contra a companheira política do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva fizeram um "I" com as mãos, sinalizando a palavra impeachment. 

Internamente, o governo já acusa a derrota.

Publicidade

Em entrevista a jornalista mais cedo, #Dilma Rousseff disse que ainda era possível vencer essa batalha e que tentaria fazer isso até o último minuto. No entanto, caso perca, ela já decidiu o que irá fazer. De acordo com a primeira mulher a ser eleita de forma democrática, ela ficará em sua casa em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. Perguntada sobre o que faria para sobreviver, a petista lembrou que tem direito a uma aposentadoria pomposa por ser presidente do Brasil.