Uma reunião do Mercosul realizada na manhã desta segunda-feira, 25, em Montevidéu, no Uruguai, terminou como um enorme incidente diplomático. Irritados com o posicionamento da entidade, doze dos 14 políticos brasileiros que foram convidados a estarem na reunião decidiram simplesmente 'roda a baiana' e irem embora. Mas tudo isso aconteceu depois de uma suposta retaliação da entidade, que colocou os congressistas para sentarem no "fundão". A atitude ocorreu depois do presidente do Parlasul, Jorge Taiana, utilizar o site da entidade para falar que existe um golpe parlamentar no Brasil. 

O evento comemorava justamente a comemoração de 25 anos do Mercosul, cujo o país mais importante é o Brasil.

Publicidade
Publicidade

Na sexta-feira, 22, em Nova York, nos Estados Unidos, a presidente Dilma Rousseff disse que se o seu processo de #Impeachment tivesse prosseguimento no Senado, ela poderia utilizar a chamada "cláusula democrática" do Mercosul, que estabelece que um país sofra sanções do bloco. Ela disse o mesmo para outro grupo de países da América Latina, a Unasul. Oficialmente, nenhuma das duas entidades se posicionar em prejudicar o país, pelo contrário. De cordo com o jornal O Globo, para que haja uma sanção a qualquer país, todos os demais devem aprová-la, o que estaria longe de acontecer nos dois blocos. 

Em entrevista ao UOL, o deputado Benito Gama reclamou do posicionamento do presidente do Parlasul, dizendo que ela não tem cabimento de ser feita no site oficial da Mercosul. De acordo com ele, os políticos presentes, com exceção de dois, decidiram abandonar a reunião como repúdio à situação.

Publicidade

 A saída teria sido aprovada pelo presidente da delegação brasileira, o Senador Roberto Requião, do PMDB do Paraná. 

Requião reclamou ainda dos brasileiros terem sido colocados atrás até de funcionários técnicos do Mercosul, um enorme sinal de desrespeito com a delegação. Ele informou que isso também aconteceu com delegações de outros países e que a debandada foi geral. O governo brasileiro ainda não comentou a atitude dos deputados e da delegação realizada  #Dilma Rousseff #Crise-de-governo