Em pleno feriado, os cariocas foram surpreendidos com uma triste notícia. A ciclovia Tim Maia, inaugurada há pouco mais de três meses havia ruído. Não demorou muito para que autoridades públicas começassem a culpar as fortes ondas que atingiam a região de São Conrado, na Zona Sul. A tragédia deixou dois mortos e pelo menos uma pessoa está desaparecida. As buscas foram interrompidas na noite desta quinta, mas devem ser retomadas pelos bombeiros nesta sexta-feira, 22.

 De acordo com informações do site da revista Época em reportagem publicada nesta quinta-feira, 21, a obra foi realizada pela Concremat e teve custo de quase R$ 45 milhões.

Publicidade
Publicidade

Curiosamente, a construtora é da família de um dos políticos mais conhecidos da cidade, o secretário de Turismo, Antônio Pedro Viegas Figueira de Mello. Ao Extra, ele confirmou o parentesco com a Concremat, mas nega ter qualquer outra relação com a obra.

Empresa sob suspeita

Fundada pelo avô do secretário, hoje a empresa é presidida por Mauro Viegas Filho, que pelo sobrenome também é parente do aliado do governo. A obra da ciclovia foi realizada através de um consórcio, que ainda realizou a contenção da encosta nos pouco mais de três quilômetros da obra. A tragédia repercutiu em diversos veículos de comunicação em todo mundo, que questionaram se as obras que estão sendo realizadas para as Olimpíadas também vão ruir. Por conta do incidente, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que estava em um avião indo para a Grécia, decidiu retornar de viagem.

Publicidade

Ele participaria de uma cerimônia sobre as olimpíadas na próxima quarta-feira, 27. 

Evento olímpico não teve prefeito nem presidente na Grécia

Mais cedo, em Atenas, sem a presença do prefeito, aconteceu o acendimento da tocha olímpica. Quem também não participou do evento foi a presidente da república Dilma Rousseff, que preferiu viajar para o estado de Nova York, nos Estados Unidos, onde fará um discurso de cinco minutos na Organização das Nações Unidas (ONU). A expectativa é que ela fale a respeito da crise política e econômica no Brasil, especialmente sobre o seu processo de impeachment, o qual ela chama de "golpe".  #Crime #É Manchete!