A presidente Dilma Rousseff vive um momento difícil em seu governo. Neste domingo, 17, deve ser votado o seu processo de #Impeachment na Câmara dos Deputados. Antes disso, no entanto, muitos deputados federais já começam a discutir uma debandada do Partido dos Trabalhadores (PT). O último dia para a desfiliação da legenda era o 31 de março. Como os parlamentares precisam se focar na defesa da presidente, ficou mais difícil negociar uma permanência ou não do partido do ex-presidente Luiz Inácio #Lula da Silva. De acordo com uma reportagem da Folha de São Paulo publicada nesta segunda-feira, 11, 26 deputados estão querendo sair do partido. No segundo semestre do ano passado, esse número era bem menor, quando começou o movimento chamado 'Muda PT'.

Publicidade
Publicidade

Ao todo, o partido ainda possui 57 deputados na Câmara, pouco mais de 10% do total. 

Avalia-se que o resultado do impedimento de Dilma pode aumentar ou diminuir o numero de representantes do PT que vão continuar ou não no partido. A decisão final acontecerá depois das eleições municipais deste ano, já que a legislação eleitoral não permite trocas no período pré-eleições. Isso só pode ser feito até seis meses antes do pleito. Márcia do Rosário teria confirmado ao jornal paulista que realmente a intenção do partido é defender Rousseff prioritariamente. Ainda segundo a Folha de São Paulo, os partidários da evacuação do PT tem a simpatia do hoje Ministro Tarso Genro. 

Genro estaria criando uma nova legenda no Sul do país. Essa nova sigla poderia vir a acolher os deputados que estão descontentes com o modo do partido de Dilma de governar ou que ao menos tem medo de não serem reeleitos carregando a estrela vermelha no peito.

Publicidade

Em diversos estados, a debandada também tem sido grande, especialmente entre os candidatos a prefeito e vereador. Avalia-se que sair candidato pela legenda pode ser campanha contra. Deputados estaduais também não estão 100% felizes com o que vem acontecendo no país. Nos últimos dias, aqueles que clamavam que acontecia um "golpe" no país começaram a não opinar mais sobre o assunto.  #Dilma Rousseff