Desde que o Partido dos Trabalhadores (PT) chegou ao governo diz traças projetos voltados às populações mais pobres, como o 'Bolsa Família' e o 'Minha Casa, Minha Vida'. Nos últimos dois anos, no entanto, o projeto construído por Luiz Inácio Lula da Silva começou a ruir nas mãos da presidente Dilma Rousseff e o que temos visto mês após mês são dados ruins. Nesta sexta-feira, 22, por exemplo, um órgão do governo federal, o Ministério do Trabalho, admitiu que a coisa está feia. No mês passado, por exemplo, foram menos 119 mil carteiras assinadas, superando o que ocorreu em fevereiro, mês um pouco mais curte, que teve 104 mil vagas formais a menos. 

O resultado é o pior da história.

Publicidade
Publicidade

A pesquisa é realizada desde o ano de 1992, quando Fernando Collor de Mello renunciou à presidência. Em março do ano passado, por exemplo, foram fechadas 19 mil cagas. Neste mesmo mês em 2016, um número seis vezes maior. Nos últimos doze meses foram 1.853.076 empregos com carteira assinada a menos no mercado. A renda média do trabalhador também diminuiu e o desemprego já ultrapassa 10% da população. É interessante observar que muitas pessoas acabam caminhando para o mercado informal, mas mesmo assim, o desemprego está alto. 

A lembrança do mercado informal é importante para entender do cenário de empregos no Brasil, pois o índice de desemprego só é chegado aos que dizem que estão procurando trabalho. Uma pessoa que está vendendo cosméticos de casa em casa, sorvete na praia ou apenas estudando, mesmo que na faculdade, por exemplo, caso diga que não procura por emprego neste momento, acaba não entrando para as estatísticas de baixas no mercado. 

Os gastos para manter um trabalhador formal não são baixos e com a crise econômica grandes empresas preferiram ficar com o menor número possível de funcionários para realizar o mesmo.

Publicidade

As poucos, quem é demitido fica sem dinheiro, deixa de comprar e tudo vai virando uma bola de neve. Temendo que a situação possa piorar, mesmo não tendo assumido oficialmente o governo, Michel Temer, o vice de Dilma, tenta montar Ministérios no momento em que Rousseff tenta se defender do processo de impeachment.  #PT #Dilma Rousseff #Crise-de-governo