De acordo com informações dadas por diversos veículos de comunicação, a presidente da república fará o chamado pronunciamento em 'Rede Nacional' na noite desta sexta-feira, 15. Com isso, todos os canais abertos e rádios do país terão que parar sua programação para exibir a fala da líder petista. Por enquanto, a informação ainda não foi confirmada pelo Palácio do Planalto. No entanto, canais já estão sendo avisados até do horário que ocorrerá a interrupção, às 20h. A estratégia do horário é justamente para pegar a novela das sete da Globo, 'Totalmente Demais', no meio, quando a audiência (atual) é a mais alta da emissora. Nesse momento, muitos brasileiros ainda estão chegando ou chegaram a pouco do trabalho. 

O tempo do discurso de Dilma ainda não foi estipulado, mas vídeo dela e do ex-presidente da república Luiz Inácio #Lula da Silva serão gravados ainda hoje.

Publicidade
Publicidade

A ideia é que o pronunciamento dure de quinze a vinte minutos. Na fala da líder petista, novamente o discurso de que o processo de impedimento contra ela é um golpe que está em curso no Brasil. Neste domingo, 17, acontecerá a votação do #Impeachment na Câmara dos deputados. O pronunciamento é visto como a última alternativa. Para fazê-lo, o governo paga uma taxa aos veículos de comunicação, que costuma também ser descontada na hora deles manifestarem seus ganhos e impostos. 

Nas redes sociais, já estão sendo organizados panelaços e em grupos do Facebook internautas tentam montar uma manifestação "relâmpago" nas principais cidades do país. 

Além de interromper todos os canais abertos do Brasil, o PT fará uma ampla campanha nas redes sociais com vídeo menores voltados para o Facebook. Páginas vinculadas à presidente e até mesmo as .gov devem ser usadas.

Publicidade

Na noite desta quinta-feira, 14, um site foi lançado usando o endereço .gov para fazer campanha pela petista.

No pronunciamento e nos vídeos existe ainda a possibilidade de personalidades públicas participarem. Dilma ainda pediria calma nesse momento importante, mas que os brasileiros fossem às ruas para mostrar de que lado estão. Em Brasília, o governo do Distrito Federal teme que os dois lados entrem em confronto. Por isso, criou um enorme muro para dividir a manifestação.  #Dilma Rousseff