Você pode defender ou até mesmo odiar a presidente da república Dilma Rousseff. Não importa os sentimentos que você caro leitor tenha pela líder política no país, o resultado do próximo domingo, 17, influenciará diretamente na sua vida. Nesta data, acontece a votação do impedimento na Câmara dos deputados. A votação começará a partir das 14h. Com tantas investigações e prisões, como o que ocorre com a operação Lava Jato, muita gente se pergunta, afinal, é possível que a presidente receba um mandato de prisão mesmo antes de seu impedimento? A situação é bem improvável, como você perceberá com especialistas entrevistados pela Blasting News. 

As delações premiadas da Lava Jato tem respingado para todos os lados.

Publicidade
Publicidade

Marcelo Odebrecht, por exemplo, prometeu jogar tudo no ventilador, mas foram executivos da Andrade e Gutierrez que acabaram polemizando contra a presidente, dizendo que o dinheiro para o patrocínio da campanha eleitoral da petista seria proveniente de propina da Petrobrás. A estatal envolve-se em um grande esquema de corrupção através de diversos de seus nomes, empresário e políticos. Apesar de confessar a propina, a doação em si à companha de Rousseff é considera legal, pois foi declarada à justiça eleitoral. Em sua defesa, o governo disse que não tem como saber como o dinheiro de doação foi adquirido e lembra que o Tribunal Superior Eleitoral não faz essa exigência. 

A Veja chegou a publicar que os donos de empreiteiras falariam em suas delações que negociaram acordou milionários de propina diretamente com a presidente.

Publicidade

Nesse caso, Dilma poderia ser presa antes mesmo de ser deposta, o que só aconteceria, mesmo que aprovado seu processo na Câmara e no Senado, apenas no fim do ano. Isso porque a presidente é afastada por 180 dias e depois ocorre uma nova votação no Senado.

Especialistas garantem que a possibilidade de Dilma ser presa no próximo mês é de praticamente zero. Ela tem mantido seu foro privilegiado e apenas poderia ser julgada (em caso de prisão) pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Lembrando que Rousseff chegou a ser presa política na época da ditadura. Ela tenta se defender hoje do processo de #Impeachment dizendo que este é um "golpe".  #Lula #Dilma Rousseff