E a véspera da votação do #Impeachment da presidente da república Dilma Rousseff foi marcada por muitas denúncias. Uma das mais graves envolve um suposto acordo da líder petista com deputados federais do Amapá. Segundo a denúncia formalizada pelos partidos PSC, PTB, DEM e PSDB, Dilma teria transferido terras da União para o estado em troca de apoio. Advogados desses partidos informaram neste sábado, 16, que entrarão na justiça e notificarão a Polícia Federal sobre o assunto.

Com o acordo, visto como criminoso pela oposição, Rousseff trocaria oito votos pelas terras. Dos oito parlamentares, seis deles estariam indecisos.

Publicidade
Publicidade

Foram justamente os indecisos que teriam contado sobre a proposta para a oposição, tentando uma negociação política sobre o assunto. Segundo a oposição, o acordo de transferência de terras foi assinado na sexta-feira, 15, em uma cerimônia secreta realizada no Palácio do Planalto. A suposta transferência, no entanto, não foi publicado no Diário Oficial extraordinário de hoje. 

Na queixa que será enviada à Polícia Federal, além de Dilma, também será acusado o ex-presidente da república Luiz Inácio #Lula da Silva, que até a tarde deste sábado estava hospedado em um hotel luxuoso de Brasília. No entanto, depois de uma confusão com um de seus seguranças, que agrediu um manifestante pró-impeachment, Lula saiu do hotel, mas deve permanecer na capital federal. 

Em entrevista a jornalistas no salão verde da Câmara, o deputado federal Pauderney Avelino, do Amapá e eleito pelo Democratas, disse que Dilma está usando a máquina pública para se defender e que por isso está sendo feita a representação.

Publicidade

Paulderney disse que não é contra a transferência, pois isso realmente beneficiará seu estado, mas que o problema foi o momento em que isso aconteceu e por quais motivos. 

De acordo com uma reportagem do UOL, o Palácio do Planalto ainda não foi encontrado para falar sobre as acusações da oposição. Deputados petistas disseram que a "doação" das terras já estaria sendo discutida nas últimas semanas e que o impeachment não teria nada a ver com o assunto. Na noite de sexta, o Movimento Brasil Livre (MBL) já havia denunciado o governo e Lula de comprar deputados. Segundo o MBL, o ex-presidente estaria usando dinheiro vivo para comprar parlamentares. Não há provas até o momento de que isso realmente aconteceu.  #Dilma Rousseff