Após o secretário da CONTAG (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura) Aristides Santos, ameaçar invadir as fazendas de todos os deputados que votarem pelo #Impeachment de #Dilma Rousseff, o deputado federal Eduardo Bolsonaro aproveitou a sessão da CPI da FUNAI e INCRA que ocorreu nessa quarta-feira, 13, para se posicionar publicamente à respeito do episódio.

No dia 1 de abril, Aristides Santos fez um discurso polêmico no Palácio do Planalto em que afirmou que deveriam (os membros do grupo) tomar as propriedades e gabinetes da 'bancada da bala' e dos demais deputados que votem pelo impeachment, considerado pelo grupo como golpistas.

Publicidade
Publicidade

Em resposta, Eduardo perguntou se Aristides ia gostar de chegar em sua casa e a mesma estar invadida, com outra família morando. Também questionou se é verdade que o MST é um 'exército do PT', não obtendo resposta.

O parlamentar leu e complementou questionamentos feitos por internautas, todos jamais respondidos por Aristides que estava se valendo de um habeas corpus preventivo para não falar durante a CPI, sendo um fato levantado pelo parlamentar como uma 'perda de oportunidade' para se explicar.

Eduardo foi direto: 'O senhor acha ou não que deve invadir o gabinete dos deputados da bancada da bala? É uma pergunta!' e 'Chega aqui na frente da gente, olha até pra baixo'.

Impeachment e popularidade política

Eduardo e Jair Bolsonaro apoiam o impeachment de Dilma e são considerados políticos que não ficam encima do muro, expressando suas respectivas opiniões sem se importar se algum grupo de minorias ficará chocado ou revoltado.

Publicidade

Também representam a verdadeiro direita e oposição ao governo petista e qualquer político ou partido que venha a tentar ferir os direitos fundamentais da família e do cidadão.

A popularidade de ambos, em especial de Jair, tem crescido avassaladoramente nas redes sociais. Para se ter uma ideia, Jair Bolsonaro possui mais seguidores em sua página oficial do Facebook do que Lula e Dilma Rousseff, levando-se em consideração que Bolsonaro é um deputado e que Lula é um ex-presidente e Dilma a atual presidente, isso gera um destaque maior para o político e uma nítida demonstração da insatisfação que os petistas têm gerado.

A maior parte dos apoiadores de Jair Bolsonaro, que não são poucos e integram diversas páginas e grupos formados por milhares de pessoas na internet, são de pessoas que se definem como cansaras da corrupção e das injustiças na sociedade, como descumprimento de leis, benefícios para meliantes, falta de segurança do cidadão e desvalorização da classe policial, privilégios para minorias, entre outros.

O vídeo

Essa não é a primeira vez que um membro da família Bolsonaro bate de frente com um radicalista da esquerda e acaba calando o oponente, o deixando sem argumentos.

Assista ao vídeo:

#Câmara dos Deputados