O clima tenso da política brasileira tem mexido com muita gente, especialmente na internet. A votação na Câmara dos deputados que acabou decidindo o prosseguimento do processo de #Impeachment da presidente #Dilma Rousseff ao Senado, por exemplo, ainda é um dos assuntos mais comentados em todo o país. Apenas na semana que vem é que o Senado deve decidir um novo calendário da investigação do processo. Antes mesmo do processo chegar ao senadores, no entanto, um famoso escritor, que tem usado suas redes sociais para defender Dilma, teve sua conta no Facebook bloqueada. Fernando Morais não gostou nada do bloqueio e tem sido ajudado por amigos a continuar compartilhando sua opinião.

Publicidade
Publicidade

O veto na rede social é de 30 dias. De acordo com o Facebook, ele publicou mensagens ofensivas e por isso teve a conta bloqueada. Geralmente, o bloqueio acontece por textos ou fotos violentas, o então que apresentem alguma nudez. Como é uma página na rede social, Fernando ficou impossibilitado de publicar. O que ele talvez não saiba é que esse recurso atinge geralmente um único administrador da rede social, ou seja, caso outro perfil tenha acesso à fanpage, ele consegue fazer normalmente as postagens. 

Nem mesmo fazer uma simples publicação está permitida pelo escritor de obras como 'Chatô: O rei do Brasil' e 'Olga'. De acordo com informações postadas no blog do jornalista Mario Magalhães, a suspeita é que a conta tenha sido bloqueada após uma onda de denúncias contra o escritor, que tem combatido o afastamento de Dilma da presidência.

Publicidade

Em entrevista ao jornalista, Fernando Morais disse que processaria a rede social, usando para isso a Constituição brasileira, que permite a livre expressão. “Tenho certeza de que a gente ganha. Se for preciso, fecharemos o Facebook no Brasil'', disse ele. 

Não é a primeira vez que um defensor de Dilma tem sua conta retirada do ar. O mesmo aconteceu com a atriz Letícia Sabatella, que também revelou que estudava uma maneira de processar e evitar que o mesmo tipo de coisa acontecesse no futuro.  #Lula