A vida da presidente Dilma Rousseff não anda nos seus melhores dias em sua carreira política. Pelo menos não no que diz respeito de manter o seu mandato. Além de enfrentar um processo de impeachment, que agora está no Senado, a líder petista enfrenta denúncias na internet. Uma delas, realizada pelo site Avaaz mostra Dilma com uma petição possuindo quase dois milhões de assinaturas. Ela supera outros políticos bem rejeitados. Em segundo lugar está Renan Calheiros, eleito Senador pelo PMDB de Alagoas. Ele tem uma petição com mais de 1,5 milhão de assinaturas. 

Quem também não anda bem na boca do povão é o presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, que assim como Renan é do PMDB.

Publicidade
Publicidade

No caso de Cunha, ele foi eleito deputado federal pelo Rio de Janeiro. E não faltam argumentos nessas petições que solicitam as assinaturas de milhões de brasileiros. No caso de Dilma, por exemplo, a corrupção de seu governo seria o principal motivo do documento que está online. Renan responde por supostamente não fazer um Senado Limpa, enquanto Cunha é acusado de falta de decoro, especialmente porque é investigado por diversos crimes, mas continua mostrando-se na luta pelo impeachment de #Dilma Rousseff

Outros políticos também são vítimas de documentos que pedem a cassação de seu mandato. Um deles é Jean Wyllys, do PSOL do Rio de Janeiro. O parlamentar tem 71 mil assinaturas contra ele. O número de pedidos para que ele perca o mandato cresceu depois que Jean cuspiu em Jair Bolsonaro, eleito pelo PSC do Rio de Janeiro.

Publicidade

Mas Bolsonaro é outro não muito amado. Ele tem uma petição com 149 mil brasileiros que não querem ele mais no parlamento. 

No caso de Jair, a coisa é mais complicada. Isso porque a Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB - RJ) também pede que Bolsonaro deixe de ser deputado. A organização entrou com um pedido judicial no Supremo Tribunal Federal (STF) e também com uma ação na Comissão dos direitos humanos da Costa Rica, tentando assim conseguir a cassação do deputado. Entre os motivos que levam ao pedido está o fato do parlamentar ter feito uma homenagem ao Coronel Ustra na hora de realizar seu voto a favor do impeachment de Dilma Rousseff. Ustra é considerado um dos maiores torturadores da época da ditadura. O militar já é falecido.  #PT #Crise-de-governo