Na tarde do Sábado (23), antes do encontro de #Michel Temer com Henrique Meirelles e Gilberto Kassab no Palácio do Jaburu, em Brasília, um grupo de manifestantes protestou na entrada da residência oficial da vice-presidência.

Aproximadamente 150 manifestantes ligados ao Levante Popular da Juventude estiveram presentes no “Escracho contra Temer”, nome dado pelo próprio grupo ao ato. A intenção, de acordo com a organização do movimento, seria promover mais uma denúncia do golpe que estaria sendo articulado pelo vice-presidente e pelo presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha. O movimento escreveu “QG do Golpe” em placas de localização e carregou uma faixa chamando o vice-presidente de golpista.

Publicidade
Publicidade

Quem também participou do protesto e discursou para militantes foi Roberto Policarpo, ex-deputado federal e presidente do Partido dos Trabalhadores do Distrito Federal. Em sua fala Policarpo reforçou que um possível governo de Temer não será reconhecido caso o impeachment passe pelo Senado Federal. “Se o Senado não parar o golpe, nós vamos parar ele nas ruas”, afirmou.

Na quinta-feira (21) manifestantes do Levante Popular da Juventude também protestaram em frente à residência do vice-presidente em São Paulo. Na ocasião Temer era o presidente em exercício, por conta da viagem de Dilma Rousseff a Nova Iorque para participar de reunião na ONU, mas havia preferido não ir a Brasília. Após o protesto, sob alegação de motivos de segurança, o vice-presidente viajou para a Capital Federal. #Manifestação